30 de jun de 2008

O maravilhoso mundo das ONGS



A origem das ONGS está descrita no artigo K-181 do kitab-iaqdas (o livrinho da nova ordem mundial):

181. O equilíbrio do mundo foi abalado através da influência vibrante desta nova e suprema Ordem Mundial. A vida regulada do gênero humano foi revolucionada por este Sistema único, maravilhoso

O complemento dessa lei está escrito nas mais diversas epístolas de Baha’u’llah onde ele ordena que a sociedade se organize em grupos para participar da Nova ordem. Com toda essa bagagem em mãos Abd’u’l baha (filho de Baha’u’llah) partiu para a América em 1912 com o objetivo de “abençoar” a futura criação da ONU e instruir os novos Baha’is sobre como deveriam orientar os governantes da terra. Dessa forma em 1948 a fé se transformou na primeira ONG através do ECOSOC (Conselho econômico e social) a exercer caráter consultivo que são amplamente aceitos e obedecidos por todas as agências da ONU.

Essas organizações não possuem parte alguma com o DEUS verdadeiro, por isso a cada tentativa de solucionar os problemas da humanidade, inspirados nos ensinamentos do Kitáb’i’aqdas ( a carta magna da nova ordem mundial), surgem novos problemas que nunca serão solucionados. Além de despertar toda o tipo de cobiça e avareza.

Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. (I Timóteo 6 : 10)


Com o tempo, as ONG’s transformaram-se num grande e lucrativo negócio. A legião de pobres e miseráveis produzida por duas décadas de neoliberalismo na América Latina conferiu às ONG’s um inesgotável “público alvo”, ou seja, uma desculpa para existir. Ao atuar oferecendo serviços públicos e recebendo dinheiro do Estado, essas entidades são cúmplices dos governos no processo de terceirização dos serviços públicos. Isso ocorre de forma dramática em órgãos federais como o Ibama e a Funasa. Além de promoverem a substituição de servidores públicos contratados por “voluntários”, as ONG’s freqüentemente superfaturam custos de programas sociais para desviar verbas públicas. Isso porque, não sendo caracterizadas como empresas lucrativas, as ONG’s encontram caminho livre e desburocratizado para buscar financiamento estatal, criando um verdadeiro mercado da miséria. Tal filão já chamou a atenção dos bancos.


A Fundação Itaú Social promove, neste momento, um curso para “Gestores de ONG’s sobre avaliação econômica de Projetos”. Como afirma o vice-presidente do Itaú, Antonio Matias, “a avaliação pode ser aplicada a qualquer programa, em qualquer área, de educação e saúde até ao combate ao trabalho infantil e à criminalidade”. Desta forma, pode-se avaliar o setor mais lucrativo para se investir e garantir um retorno favorável.


A Fundação Getúlio Vargas também disponibiliza um curso para “capacitação” de ONG’s.O jornalista e escritor Julio Ludemir morou três anos na favela da Rocinha para escrever seu livro “Sorria, Você Está na Rocinha”. Em entrevista à Folha de S. Paulo, o jornalista explica de que forma se dá a atuação do Terceiro Setor na favela, geralmente aliada ao tráfico de drogas. “Essas pessoas (ONG’s) têm muito mais interesse na preservação do seu projeto do que na sua eficácia. E querem a guerra. Não há nada melhor para esses projetos sociais do que a guerra [disputa entre traficantes]”. Se o Terceiro Setor beneficia principalmente os governos neoliberais, as multinacionais também não ficam atrás. No Brasil, um portal na Internet aglutina e divulga ações de voluntariado. Sustentado por empresas como rede Globo, IBM, BankBoston e Itaú, esse portal “desenvolve ferramentas de gestão de voluntariado” para essas corporações.


Os objetivos do portal são explicitados na mensagem que é divulgada ao candidato a voluntário que o acessa. “Ao nos preocuparmos com a sorte dos outros, ao nos mobilizarmos por causas de interesse social e comunitário, estabelecemos laços de solidariedade e confiança mútua que nos protegem a todos em tempos de crise, que tornam a sociedade mais unida e fazem de cada um de nós um ser humano melhor.”Por essa lógica, as desigualdades sociais não são fruto da exploração de uma classe sobre a outra, mas sim fruto da falta de “sorte dos outros”.


Percebe-se, então, a razão que faz com que multinacionais invistam no Terceiro Setor.Talvez um dos aspectos mais perversos dessa história seja a cooptação de ativistas honestos para esse projeto. Assim governos e multinacionais utilizam-se da genuína vontade de mudar a realidade para cooptar, sobretudo, os mais jovens. Não por acaso esse foi o principal público-alvo da campanha “Ano Internacional do Voluntariado”, em 2001.


O aumento do número de ONG’s é proporcional ao aumento da miséria e pobreza na América Latina. Como afirma Petras, as ONG’s não passam do “rosto comunitário do neoliberalismo”.

27 de jun de 2008

O conselho de Segurança da ONU

A influência Baha’i sobre o conselho de segurança pode ser vista através da estrela de cinco pontas e o número 9.

A estrela de cinco pontas é um símbolo provisório

As mais importantes epístolas de Baha’u’llah, dirigidas individualmente aos reis da terra, eram escritas em forma de uma [1] estrela pentangular. Hoje, essas cinco pontas representam as cinco nações que controlam o conselho de segurança que são: China, Rússia, Reino Unido, França, Estados unidos. Todos os conflitos e crises políticas do mundo são tratados pelo conselho, para que haja intervenções militares ou missões de paz.

Nesse caso o símbolo mágico da nova era representa a submissão espiritual e material do homem aos ensinamentos baha’is por esse motivo a fé, através do ECOSOC (Conselho econômico e social da ONU), atua em caráter consultivo sobre o conselho de segurança adestrando os governantes até o dia em que Bah’u’llah seja retirado do abismo para dar posse ao Anticristo e seus nove mestres eleitos e também trocar esse símbolo pelo valor numérico da estrela de 9 pontas e isolar o anticristo do grupo.

Enquanto o dia dos sinais da revelação não chega os governantes da terra disputam as cadeiras restantes do conselho através de intrigas, manobras políticas e corrupções de ordem moral, econômica e social. Uma dessas manobras e realizada pelo G4. O G-4 preencheria as quatro primeiras cadeiras, restando uma força africana como Nigéria ou África do Sul. A França apóia a entrada da Alemanha, e os países sul-americanos tendem a apoiar o Brasil, apesar de alguns fazerem oposição abertamente, como o México e a Argentina.

O número 9

A pena “infalível” de Baha’u’llah, através do seu Kitáb-i-aqdas, determina que o número 9 deve estar representado em toda a esfera do seu governo. O artigo K-29 possui a seguinte recomendação:

“K-29. Dize: Este é aquele conhecimento oculto que jamais há de mudar, pois inicia-se com o nove, o símbolo que representa o Nome oculto e manifesto, inviolável e inacessivelmente excelso... Atendei às injunções que vos foram impostas por Aquele que é a Aurora da Expressão...”

O Espírito Santo, por intermédio do Apostolo Paulo, também nos adverte sobre o perigo do artigo K-29 no versículo abaixo:

O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus. (II Tessalonicenses 2 : 4)

E os governantes da terra atenderam ao clamor de Baha’u’llah! Os membros permanentes do conselho dependem do uso de feitiçaria, mas para os membros eleitos foi criada uma emenda ao Artº. 27 da Carta das Nações unidas estipulando que as decisões do Conselho de Segurança seriam tomadas pelo voto afirmativo de nove membros.

Os nove membros eleitos do conselho de segurança com direito a voto são escolhidos entre os países abaixo:

(2007–2008) - África do Sul (África)
(2007–2008) - Bélgica (Europa Ocidental)
(2008–2009) - Croácia (Leste Europeu)
(2008–2009) - Burkina Faso (África)
(2007–2008) - Indonésia (Ásia)
(2007–2008) - Itália (Europa Ocidental)
(2007–2008) - Panamá (América)
(2008–2009) - Costa Rica (América)
(2008–2009) - Líbia (África)
(2008–2009) - Vietnã (Ásia)

É dessa forma que o Kitáb-i-aqdas, a carta magna da nova ordem mundial, é implantada bem debaixo dos nossos olhos e não percebemos. Para que alguns artigos do kitáb sejam implantados são necessárias dezenas de manobras políticas.

Todo esse trabalho descrito acima foi feito apenas para organizar as nações da terra sobre a regência do número 9. Por isso o arrebatamento talvez possa demorar um pouco, mas certamente em breve virá.

Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará. (Habacuque 2 : 3)


[1] Outro significado para a Estrela de cinco pontas: As duas pontas para cima, significam Lúcifer e seu reino; duas pontas para baixo, significa o homem como deus, no lugar de Deus. É símbolo da adoração a Satanás já estabelecida em várias partes do mundo. Alguns conjuntos musicais de "Rock" adoram este símbolo para garantir sucesso


Referências:

http://www.onu-brasil.org.br/conheca_onu.php

http://www.jesussite.com.br/acervo.asp?Id=1097

26 de jun de 2008

Você não pode pregar a Bíblia aqui, esta é uma área muçulmana

(Foi o que um policial comunitário disse a dois cristãos)
Steve Doughty e Andy Dolan UK Daily Mail Segunda-feira, 2 de junho de 2008

Dois pregadores cristãos foram impedidos de entregarem seus folhetos bíblicos pela polícia porque eles estavam em uma área muçulmana, conforme reclamaram ontem.
Eles disseram que um oficial de apoio da polícia comunitária(2) muçulmana disse que não poderiam pregar ali e que a tentativa de converter muçulmanos ao cristianismo é um crime de ódio.


O oficial comunitário também disse que falou aos dois homens: 'Vocês foram avisados. Se vocês voltarem aqui e apanharem, bem, vocês foram avisados.'
Um guarda da polícia que estava presente durante o incidente em Rock Alum, área de Birmingham também foi citado por ter dito aos pregadores para não voltarem ao distrito.
Isso vem em meio a crescente preocupação com o desenvolvimento de áreas Islâmicas “ não-transitáveis ". (1)


Os pregadores, os americanos Arthur Cunningham e Joseph Abraham, estão exigindo um pedido de desculpas e compensações da Polícia de West Midlands.
Dizem que seu tratamento viola a Lei dos Direitos Humanos, que garante a liberdade de expressão religiosa.
Os pregadores, que têm o apoio do grupo de pressão Christian Institute, dizem que os levarão a força ao tribunal por violação dos seus direitos humanos se não receberem um pedido de desculpas.
Eles acusaram o PCSO(2) Naeem Naguthney, de comportar-se de maneira “ agressiva e ameaçadora ". Uma queixa de seus advogados foi de que ele os interrompeu assim que eles falaram sobre suas crenças aos jovens muçulmanos.


O sr. Abraham, 65, que foi um muçulmano nascido no Egito e converteu-se ao Cristianismo, disse: " Ele nos falou que estávamos tentando converter muçulmanos ao Cristianismo e que aquilo era um crime de ódio.
Ele foi muito amedrontador, e me interessa saber como que alguém com essa opinião possa tornar-se um oficial , mesmo que do nível da polícia comunitária de segurança. (PCSO)
O sr. Cunningham, 48, seu colega, missionário Batista americano, disse: "Ele percebeu que éramos americanos e começou a gritar conosco sobre a George Bush e a política externa americana.


Artigo Completo
http://www.dailymail.co.uk/news/article-1023483/You-preach-Bible-Muslim-area.html
(1) Tradução para ' no-go areas ' Police Community Support Officers / Oficial de Apoio da Polícia Comunitária

23 de jun de 2008

Bill Gates realmente se aposentou?

São Paulo - Gates se aposenta no momento em que a companhia enfrenta um dos maiores desafios da sua história: vencer na nova economia da internet

Em poucos dias, Bill Gates deixará o cotidiano da empresa que fundou há mais de 30 anos. A hora de sua partida não poderia ser mais decisiva para a companhia.

Depois de reinar absoluta durante toda a era em que a computação esteve centrada no desktop, a Microsoft vive um momento crítico: a transição para um mundo totalmente voltado à internet, no qual o sistema operacional, que garantiu a sua sobrevivência e supremacia durante todos esses anos, já não é mais a peça-chave do jogo.

Quando anunciou sua saída, dois anos atrás, Gates não poderia prever que se aposentaria exatamente após a investida de 47,5 bilhões de dólares da sua empresa sobre o concorrente Yahoo fracassar. O fato fez com que o mercado questionasse a capacidade da empresa de rivalizar com o cada vez mais poderoso Google - arquiteto da nova economia da web e maior oponente da história da Microsoft.

Gates não vai abandonar por completo a origem de toda sua fama e fortuna. No dia-a-dia, ele se dedicará à organização filantrópica Fundação Bill e Melinda Gates, mas continuará como conselheiro tanto na administração da companhia quanto em projetos de produtos...

http://idgnow.uol.com.br/mercado/2008/06/22/como-sera-o-futuro-da-microsoft-sem-o-fundador-bill-gates/

A verdade sobre a criação da constituição Brasileira


Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado; (II Tessalonicenses 2 : 7)

O que fez o congresso nacional homenagear o centenário de Baha’u’llah durante o ano de 1992? Ora, os ensinamentos de Baha’u’llah não se limitam a subsídios para os Novos governantes e legisladores do Brasil. A própria constituição brasileira foi totalmente inspirada nos seus ensinamentos. Abaixo segue alguns dos livros escritos por Baha'u'llah que serviram de "inspiração" na criação da constituição brasileira:
(2) Bahá'u'lIáh, citado em "Bahá'u'lIáh e a Nova Era".(3). Bahá'u'lIáh, citado em "As Palavras Ocultas de Bahá'u'lIáh"(4) De uma declaração da "Bahá'í International Community", intitulada "One World... One People".(5) Bahá'u'lIáh, citado em "Seleções dos Escritos de Bahá'u'lIáh",(6) 'Abdu'I-Bahá, citado em "Foundations of World Unity", pág. 31.(7) 'Abdu'I-Bahá, citado em "Palestras de 'Abdu'I-Bahá em Paris".(8) Bahá'u'lIáh, excerto de uma Epístola dirigida aos Monarcas do Mundo, em 1863, citado em "A Proclamação de Bahá'u'lIáh".
Os nossos políticos hipócritas e mentirosos mais uma vez ficaram felizes por não precisarem pensar. A comunidade Baha’i praticamente elaborou toda a constituição brasileira como descrito abaixo:

Consciente de que a elaboração de uma Constituição representa um instrumento de celebração de um novo pacto social, onde estejam representadas todas as correntes de opinião do país, a Comunidade Bahá'í do Brasil apresenta, neste documento, o pensamento bahá'í, como sincera contribuição ao nobre trabalho ora desenvolvido pela Assembléia Nacional Constituinte.


É nesse contexto que, com a convocação da Assembléia Nacional Constituinte, recentemente eleita pelo povo para discutir e votar a nova Constituição, vivenciamos um momento histórico único; repleto de desafios, gerados pela constatação da crescente interdependência entre as nações, contida no conceito emitido por Bahá'u'Iláh, o Fundador da Fé Bahá'í,(1) há mais de um século passado, de que a terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos (2). Um pensamento que reflete em sua inteireza o novo estágio de organização social para o qual, definitivamente, caminha a humanidade.


COOPERAÇÃO


Um dos efeitos inevitáveis decorrentes do processo de desintegração do atual sistema de relacionamento do mundo tem sido a crescente ênfase concedida à competição e a auto-preservação. Significativos setores da opinião pública, tanto do Brasil quanto do exterior, enfrentam uma crise de confiança no espírito de cooperação com o qual as sociedades contemporâneas emergiram após a 2ª Guerra Mundial. O espírito de competição do mundo atual assume graves proporções e, no caso de tornar-se uma característica culminante do comportamento social, poderá minar por completo todo esforço coletivo de cooperação e de relacionamento humano, que representam legítimos anseios populares de paz social, de justiça e de progresso.


Entendemos como as áreas mais urgentes para o exercício da cooperação os vibrantes temas relacionados a Capital e Trabalho, Governo e Iniciativa Privada, etc.


PROCESSO CONSULTIVO


Observa-se no sistema legislativo vigente um anacronismo incapaz de responder aos desafios do futuro. No entanto, o sistema tem seus méritos inegáveis. As instituições foram concebidas para atender também às necessidades de uma época diferente da atual. Considerando ser a existência de partidos um dos maiores desafios que o sistema tem para direcionar seus esforços no sentido da unidade e harmonia, com vistas ao bem comum e atendendo às exigências do desenvolvimento social - realidade esta que dificilmente será alterada - acreditamos que o mais aconselhável seria direcionar as energias nacionais na expansão e sistematização do que denominamos processo consultivo, ou consulta.


Mencionamos o princípio da consulta, particularmente, porque ele está intrinsecamente ligado ao funcionamento de nossa própria Fé. Bahá'u'lIáh declarou que, juntas, a consulta e a compaixão formam a "lei" para o estágio de maturidade da humanidade. Nossa experiência com sua guia sobre a consulta na administração de uma comunidade internacional, extraordinariamente variada, tem-se mostrado tão frutífera que somos impelidos a sumarizar alguns dos seus princípios diretivos:


JUSTIÇA


A Justiça, Bahá'u'lIáh declarou no século passado, é a mais amada entre todas as coisas (3) à vista de Deus e representa uma dádiva livremente concedida ao homem nesta era, a era de sua maturidade.

"Por ser tema de natureza complexa, acreditamos que novos padrões morais e espirituais são hoje necessários para solucionar os interligados problemas econômicos e sociais de nosso planeta, e estes descansam em uma única base: a consciência, em cada indivíduo, da unidade orgânica da humanidade. Não somos apenas cidadãos de nosso país, mas, além disso, somos também cidadãos de todo o mundo. Fazemos parte de um ecossistema; mas este deriva de nosso mundo interior, que abarca valores e atitudes, os quais capacitam-nos com o entendimento, a vontade e o poder de elevar a qualidade da vida física e espiritual de todos os povos. Esta convicção, por parte do indivíduo e da sociedade, da unidade essencial da raça humana é o único padrão viável atualmente para uma justiça econômica e social. Dela deve depender a solução bem-sucedida para os problemas de meio-ambiente, propriedade, população, alimentação, saúde, emprego, etc. Resumidamente, isto significa considerar o bem-estar da comunidade como o seu próprio, considerando a humanidade como um indivíduo e este como um membro de sua forma corpórea, e estar convicto de que se uma dor ou enfermidade aflige qualquer membro de seu corpo, ela inevitavelmente trará sofrimento para todo o resto." (4)

Acreditamos que uma preocupação econômica básica do Governo deverá ser a de encorajar um nível mais elevado de confiança e cooperação dos partidários entre capital e trabalho, binômio sob o qual repousam os fundamentos do bem-estar material do país.


EDUCAÇÃO


Considerai o homem, declarou Bahá'u'lIáh, como uma mina rica em jóias de inestimável valor. A educação, tão-somente, pode fazê-la revelar seus tesouros e habilitar a humanidade a extrair dela algum benefício. (5) A educação também é, por assim dizer, o único patrimônio que não pode ser subtraído de alguém. As potencialidades latentes em cada ser humano, necessitam, portanto, do esmeril da educação para tornar-se manifestas. Sendo assim, destacamos alguns dos princípios diretivos para uma nova abordagem da educação nos dias de hoje:


1. As escolas devem destacar o conceito da unidade do gênero humano e enfatizar a importância de se traduzir para a realidade a interdependência mútua de seus membros, que sejam condizentes à unificação da humanidade e ao estabelecimento da paz e estabilidade mundial.


2. Os educandos devem ser imbuídos de um sentimento de consciência mundial e de lealdade ao gênero humano; uma lealdade transcendente que não menospreza lealdades menores, como as devidas a qualquer raça, credo, nação ou ideologia em particular.

Este é um desafio particularmente urgente em nossa sociedade crescentemente multirracial e multirreligiosa.


3. Os educadores, por sua vez, devem instilar nos educandos desde a mais tenra idade um despertar do amor à humanidade, capaz de abolir, finalmente, todas as formas de preconceito racial, religioso, político, social e intelectual.


Dentro dessa concepção voltada para o conceito de cidadania mundial, acreditamos que toda criança precisa ser instruída nas ciências, tanto quanto necessário. Se os pais são capazes de propiciar esta educação, tanto melhor; se não, a comunidade deverá prover os meios6, declaram os ensinamentos bahá'ís sobre o assunto.


AUTORIDADE CIVIL

Ninguém pode deixar de constatar a ansiedade que os problemas criados por uma ordem social desintegrante estão acarretando para um sempre crescente número de seres humanos, que se sentem indefesos para proteger a si próprios e às suas famílias. Todos os cidadãos têm também responsabilidades. O mais importante em uma sociedade democrática é a submissão à vontade da maioria, expressa através dos instrumentos constitucionais que a sociedade com esmero tem criado. Os governos têm o direito de esperar obediência civil. Nenhum bem, mas somente dano, poderá resultar da deliberada violação da lei civil ou da deliberada desobediência às instituições devidamente constituídas pela autoridade civil.

Destacamos das Escrituras Bahá'ís os seguintes textos que,acreditamos, bem exemplificam o pensamento bahá'í sobre o assunto:


A lei há de reinar e não o indivíduo; assim o mundo se tomará um lugar de beleza e a verdadeira fraternidade se estabelecerá. (7)


O que a humanidade necessita neste Dia é a obediência àqueles que possuem autoridade e a fiel adesão à corda da sabedoria. Os instrumentos que são essenciais à proteção imediata, à segurança e à tranqüilidade do gênero humano foram confiados às mãos dos governantes e se acham em seu poder. É este o desejo de Deus e Seu decreto... (8)


Os bahá'ís reafirmam sua total lealdade e obediência à nova Constituição que em breve será promulgada.


ARTIGO:

Nas suas relações internacionais, o Poder Executivo deve, ad referendum do Congresso Nacional:


a) Promover entre todos os países da Comunidade Internacional o conceito da cidadania mundial, criando as bases de uma nova ordem mundial no campo econômico, social e político.


b) Promover e apoiar a defesa incondicional dos direitos fundamentais inerentes à pessoa humana.


c) Defender a paz, facultando-lhe o emprego da força somente em caso de agressão externa.


d) Promover o intercâmbio das conquistas tecnológicas do patrimônio científico e cultural da humanidade.


e) Resolver conflitos internacionais por negociações diretas, arbitragem e outros meios pacíficos, com a mediação de organismos internacionais reconhecidos pela comunidade internacional.


ARTIGO:

É vedada a manutenção de relações diplomáticas comerciais e culturais com países que, reconhecidamente através de organismos internacionais, violem os direitos fundamentais da pessoa humana, principalmente quando decorrentes de discriminação por sexo, raça ou credo religioso, e utilizem terrorismo ou tortura.


ARTIGO:

Ocorrendo guerra entre países com os quais o Brasil mantenha relações diplomáticas, cabe ao Estado Brasileiro tomar a iniciativa de propor uma solução pacífica para o conflito. Em persistindo este, o Brasil deverá participar das forças internacionais de intervenção para assegurar o restabelecimento da paz.


IV. Referências

Através da Comunidade Internacional Bahá'í, uma das organizações não-governamentais junto às Nações Unidas, a Fé Bahá'f participa em grau consultivo junto ao ECOSOC - Conselho Econômico e Social, e ao UNICEF- Fundo da Infância - e participa oficialmente do Programa do Meio Ambiente, colaborando também com o Escritório de Informação Pública - todos órgãos da O.N.U.


(2) Bahá'u'lIáh, citado em "Bahá'u'lIáh e a Nova Era".

(3). Bahá'u'lIáh, citado em "As Palavras Ocultas de Bahá'u'lIáh"

(4) De uma declaração da "Bahá'í International Community", intitulada "One World... One People".
(5) Bahá'u'lIáh, citado em "Seleções dos Escritos de Bahá'u'lIáh",

(6) 'Abdu'I-Bahá, citado em "Foundations of World Unity", pág. 31.

(7) 'Abdu'I-Bahá, citado em "Palestras de 'Abdu'I-Bahá em Paris".
(8) Bahá'u'lIáh, excerto de uma Epístola dirigida aos Monarcas do Mundo, em 1863, citado em "A Proclamação de Bahá'u'lIáh".

A influência Bahá’i na política Brasileira

E EU pus-me sobre a areia do mar, e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia. (Apocalipse 13 : 1)

O deus da onu (Baha’u’llah) é muito conhecido entre os deputados em Brasília, mas bem desconhecido dos brasileiros. O nome de blasfêmia não está escrito apenas nas cabeças da besta descrita acima, mas em todos os deputados independente de partido ou religião. O congresso nacional segue as leis do Kitáb-iaqdas e não a Bíblia:

K-81. Ó reis da terra! A Lei Suprema foi revelada neste Lugar, neste cenário de transcendente esplendor. Cada coisa oculta veio à luz, graças à Vontade do Ordenador Supremo, Aquele que fez soar a Hora Final, por Quem se partiu a lua e se expôs todo decreto irrevogável.
Senadores, Deputados Federais, Autoridades Federais do Executivo e do Judiciário, Representantes de Organizações Não-Governamentais e mais de uma centena de bahá’ís ocupam o plenário do Congresso Nacional. Pontualmente às 15 horas, todos se postam em pé e ansiosos dirigem o olhar para a entrada principal do plenário de onde surge Amatu’l-Bahá Ruhíyyih Khanum... Os corações estão acelerados, as lágrimas contagiam de terna emoção aquele recinto solene. Estamos testemunhando o início de um eloquente tributo de amor e respeito pelos ensinamentos de Bahá’u’lláh,

Deputados representando 14 partidos políticos se revesam na tribuna enaltecendo os esforços e a vida de Ruhíyyih Khanum dedicada à promoção da unidade entre os povos do mundo

O painel registra a presença de noventa deputados federais no plenário. São eles, em ordem alfabética: Adauto Ferreira, Adilson Motta, Adroaldo Strock, Albérico Cordeiro, Alberto Cordeiro, Alberto Goldman, Alcides Modesto - (Quem fez a oração de unidade), Alzira Ewerton, Ana Júlia, Aníbal Gomes, Antônio Feijão*, Antonio Sérgio Carneiro, Arnaldo Faria Sá, Arnaldo Madeira, Arthur Virgílio, Augustim Freitas, Ayrton Xerxes, Benedito Guimarães, Carlos Airton, Carlos Camurça, Ceci Cunha, Célia Mendes, Costa Ferreira, De Valasco, Domingos Leonelli, Eduardo Jorge, Emanuel Fernandes, Enio Bacci, Euripedes Miranda, Fernando Diniz, Fetter Junior, Flávio Arns, Franco Montoro, Gedel Vieira Lima, Genésio Bernardino, Henrique E. Alves, Herculano Anchinetti, Hilário Coimbra, Jairo Carneiro, João Coser, João Leão, João Mendes, João Pizzolatti, José Brilhante, José Coimbra, José Genoino, Junia Maria, Laura Carneiro, Leônidas Cristino, Luciano Castro, Luciano Zica, Luis Eduardo, Luiz Buaiz, Luiz Gushiken, Marçal Filho, Marcia C. Viana, Maria Valadão, Marcelo Deda, Mario Cavallazzi, Nelson Branco, Nelson Meuser, Nilton Temer, Odílio Balbonotti, Olávio Rocha, Oscar Goldoni, Padre Roque, Pauderney Avelino, Paulo Baner, Paulo Bernardo, Paulo Delgado, Paulo Titan, Pedro Wilson, Ricardo Heráclio, Ricardo Izar, Roberto Campos, Roberto Paulino, Robson Tuma, Romel Anísio, Salomão Cruz, Salvador Zimbaldi, Samuel Carvalho, Severino Cavalcanti, Silvio Lopes, Telma Souza, Vadão Gomes, Valdemar Guedes, Vilma Rocha, Werner Wander, Zulaie Cobra.

A maior parte dos deputados apóiam e trabalham para que sejam implantadas as leis do Kit-ab-i-aqdas no Brasil e também a economia divina de Baha’u’llah para a humanidade (AP.13:17). Abaixo apenas alguns depoimentos –só alguns, em apóio a causa mundial da Fé:

Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos. (Habacuque 2 : 5)


O SR. LUIZ GUSHIKEN (PT-SP. Pronuncia o seguinte discurso) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Ilma. Sra. Ruhiyyih Rabbani, demais membros da comunidade Bahá’í, minhas senhoras e meus senhores, há quatro anos, exatamente no dia 28 de maio de 1992, esta Casa se enalteceu ao promover sessão solene de homenagem ao Centenário da Ascensão de Bahá’u’lláh, fundador da Fé Bahá’í.

Mas, é na difusão do princípio de unidade do gênero humano que as idéias defendidas pela Sra. Rabbani encontram plena expressão e atualidade. Decorre desse princípio a arquitetura do mais grandioso projeto político jamais imaginado pelo homem: uma instituição mundial, que com seus poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e Militar, organizada democraticamente a partir da vontade soberana das nações e capaz de promover a paz mundial e a justiça social.
Dessse princípio decorre também a criação de uma lealdade mais ampla entre os homens, capaz de superar os limites de nacionalidade, Religião, sexo, cor, etc.
Foi Bahá’u’lláh quem formulhou a idéia-síntese desse princípio ao afirmar que “A terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos.”


A SRA. MARIA VALADÃO (Bloco PFL/GO, pronuncia o seguinte discurso) -

A Fé Bahá’í não apresenta dogmas, mas apenas o cerne de uma doutrina formulada por Bahá’u’lláh e aprofundada por seus herdeiros e sucessores, Abdu’l-Bahá, intérprete Autorizado da Fé, designado pelo próprio Profeta-Fundador, e Shoghi Effendi, Guardão da Fé. Mas, apenas numa comparação imperfeita, poderíamos até dizer que o dogma bahá’í é o da igualdade.

O SR. JOSÉ COIMBRA (Bloco/PTB-SP - pronuncia o seguinte discurso)-

Conhecia, sem dúvida, também as palavras d’Aquele que antecedera a Bahá’u’lláh - “ide e ensinai a todos os povos”-

Também no plano nacional, as Assembléias Espirituais vêm se preocupando em apresentar sugestões e normas que possam contribuir para o aperfeiçoamento do ser humano através da sua ação na comunidade. Não há agora como enumerar à exaustão as iniciativas da Assembléia Espiritual Bahá’í brasileira, mas não posso me furtar de mencionar pelo menos uma das mais recentes, que toca a nós parlamentares de maneira toda especial.

Trata-se do documento [1] “Subsídios Bahá’ís aos Novos Governantes e Legisladores do Brasil”, publicado no início do ano passado e dirigido àqueles que tnham, então, sido recentemente investidos de mandato neste Lesgislativo e nos Legislativos e Executivos estaduais e federal. O documento, uma verdadeira carta-aberta, abrange quatro áreas básicas que, segundo os ensinamentos de Bahá’u’lláh, são cruciais para o aperfeiçoamento humano: educação, com especial ênfase à população rural; promoção da mulher; liderança e moralidade. E como precisamos disso! - e prosperidade da humanidade.


O SR. MARCELO DEDA O meu testemunho refere-se à preocupação dos Bahá’ís em aperfeiçoar as instituições políticas do Brasil, trazendo contribuições, como, por exemplo, reuniões com representantes, com dirigentes políticos, suas experiências, reflexões e idéias da fé que professam.


O SR. FRANCO MONTORO - Congratulo-me com V. Exa. e com os promotores desta homenagem. Se a idéia de uma paz universal de um governo mundial é um sonho que na época, já no início do mundo moderno Kant (?) intitulou o seu livro “O mundo de a paz, de paz universal”, esse velho sonho tem hoje uma atulaidade extraordinária. Esta globalização caminha no aspecto econômico, no aspecto tecnológico e exatamente por isso é necessário que se dê a ela uma alma.

O SR. ALCIDES MODESTO (PT-BA Sem revisão do orador) - Convido a todos a ficarem de pé para que façamos a nossa oração neste plenário. Oração do Fundador da Fé, Bahá’u’lláh que assim se expressa:

“Ó meu Deus, ó meu Deus! Une os corações de teus servos e revela-lhes o teu grande plano.Que sigam teus mandamentos e permaneçam firmes em tua fé.Ó Deus, ajuda-os em seus esforços e concede-lheso poder de te servirem.Em verdade, tú és seu amparo e seu Senhor.” (Palmas)

Dessa forma a direita e a esquerda no Brasil manipulam a sociedade durante anos. O objetivo é esconder o nome do prometido (Baha’u’llah) da sociedade até o dia da revelação de seus Sinais. Afinal...se isso não for feito a nova ordem não teria êxito.


Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno. (I João 5 : 19)
Referências:

21 de jun de 2008

É disso que o Brasil precisa...


Topmodell Use essa carta para promover uma mudança de comportamento no subconsciente da humanidade.

Infelizmente a maioria dos cristãos (sejam pastores, membros, bispos ou até aqueles que se dizem Apóstolos) aguardam a retirada da Besta do Abismo de forma direta, mas na verdade não é bem assim que está acontecendo. A mudança de comportamento é aplicada de forma gradativa manifestando-se em vários graus de intensidade. Dessa forma a nova ordem mundial de Baha’u’llah colocará toda a humanidade contra os cristãos verdadeiros:

“Poucas pessoas deixarão de reconhecer que o Espírito insuflado no mundo por Bahá'u'lláh, Espírito esse que está se manifestando em graus variados de intensidade...” ( do livro: A ordem Mundial de Baha’u’llah)



Para promover essa mudança de comportamento a UNESCO realiza concursos de redações e escolhem aquelas que mais se aproximam dos objetivos de Baha’u’llah como vencedoras.

Recentemente uma dessas redações vencedoras foi a de uma universitária dançarina de um programa desqualificado e de baixo nível apresentado pela rede globo chamado " O Caldeirão do Luciano Huck" (muito ligado a varias ONGS e outros projetos “sociais” duvidosos).

A redação da dançarina do programa propõe uma mudança de governo, pois os nossos governantes não são capazes de solucionar os problemas da humanidade. Abaixo apenas um trecho da redação:

“Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil. Afinal, de que serve um governo que não administra?”
(Clarice Zeitel obs. Artigo em pdf).

Essas são as mesmas mudanças que a ONU pretende fazer na economia com a retirada de Baha’u’llah do abismo através da feitiçaria maçônica e cabalística.

Agora é só usar a mídia globalista para promover a mudança de comportamento desejada na população. Aproveitando a entrega desse “prêmio” a rede globo manipulou muito bem a notícia sobre essa matéria:

http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL607175-5606,00-PREMIADA+PELA+UNESCO+DANCARINA+DO+HUCK+QUER+SER+DEFENSORA+PUBLICA.html

A propaganda em favor da aceitação do governo da besta de 10 chifres é promovida por uma jovem bonita, sorridente e seu mini-traje com o slogan: “ Ela é bonita e inteligente.” Esse slogam fica na mente de alguns homens (guiados pela razão), pois são seduzidos pelo corpo da moça dessa forma a razão está na notícia do jornal que apresenta a ONU como um instituição que busca a paz global.
Quanto as mulheres (guiadas pelo coração) a própria matéria diz : “Cuidado mulheres, pois a história que segue pode causar ataques de inveja.” Em outras palavras a notícia sugere : Se você não tem um corpo como esse aceite essa notícia (ou melhor essa redação) em meu coração como verdadeira.

O espírito de Baha’u’llah se manifesta de forma diferente, mas todas as pessoas que não conhecem o verdadeiro DEUS (sejam governantes, universitários, dançarinas - modelos ou reis) tem o mesmo objetivo no coração, entregarem o poder à Besta:

Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. (Apocalipse 17 : 13)



Talvez o grande vencedor poderia ser o presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad com a sua memorável carta enviada ao presidente Bush onde ele diz:

“...e, por fim, trabalhar para o estabelecimento de uma comunidade internacional unificada --comunidade que Cristo e os virtuosos da Terra um dia governarão—“

Mas isso não é uma redação universitária e com certeza Mahmoud Ahmadinejad não é tão sensual! Hoje ser alguém inteligente é apoiar o governo da Besta e mesmo que usem e abusem da sensualidade para hipnotizar homens e mulheres.

19 de jun de 2008

A videoconferência Holográfica

A videoconferência holográfica é de extrema importância para o Anticristo e os seus nove mestres eleitos, pois assim que Baha’u’llah for retirado do abismo a contagem regressiva e a lenta da destruição da terra terá inicio. Os novos líderes mundiais estarão ocupados demais tentando "salvar" o planeta das trombetas e flagelos descritos no livro de Apocalipse.

.......
Cisco apresenta tecnologia para videoconferência holográfica
Em uma conferência, a Cisco apresentou uma nova tecnologia que torna real uma videoconferência de forma holográfica.

Denominado On-Stage TelePresence, o sistema de tele-conferência holográfica possibilita enxergar a pessoa como se ela estivesse no mesmo ambiente através de uma projeção de alta qualidade em tempo real.

Durante a demonstração, John Chambers, CEO da Cisco, conversou naturalmente com Marthin de Beer, que estava a quilômetros de distância, através do sistema, arrancando aplausos de um público composto por aproximadamente 200 pessoas.

Ainda não é possível determinar as limitações da tecnologia ou o tamanho do dispositivo e do projetor para tornar possível a conferência holográfica. Mas, de acordo com Chambers, em cinco anos essa tecnologia já poderá estar presente nas casas dos usuários.


http://imasters.uol.com.br/noticia/9041/tecnologia/cisco_apresenta_tecnologia_para_videoconferencia_holografica/

17 de jun de 2008

Príncipe William se torna cavaleiro real britânico

A prática da cabala e maçonaria é descarada no final dos tempos para estabelecer a nova ordem mundial.

Na cabala:

A data em que o príncipe William recebeu esse título é: 16/06/2008

Somando o ano = 2+0+0+8 = 10. O número 10 representa a besta de 10 chifres, ou seja, o anticristo e seus nove mestres eleitos.

Somando o dia e mês = 1+6+6=13. O número 13 representa o total das principais pessoas envolvidas na nova ordem mundial. A besta de 10 chifres, a besta de 2 chifres e a besta do abismo (um ser espiritual).

Na maçonaria:

1) A ordem da Jarreteira pratica maçonaria. O Príncipe de Gales, Charles Philip Arthur George Mountbatten-Windsor, ou apenas Príncipe Charles, é Grão-Mestre dessa Ordem, juntamente com mais 24 membros e 26 cavaleiros. (clique aqui para ver a foto)

2) O símbolo da ordem é um estrela de 8 pontas. Todas as religiões da nova era como : Catolicismo, budismo, seicho-no-ye e muitas outras usam figuras geométricas com 8 pontas, isso significa que estão aguardando a chegada de Baha’u’llah que é representado pelo seu sinal oficial, a estrela de nove pontas. Nesse caso o símbolo maçônico antigo é substituído pelo ordo:



3) Atrás desse título de cavaleiro existe na verdade um maçom grau número 3.

4) Não importa quem seja o candidato o importante aqui é continuar subindo os degraus da maçonaria até o grau nove, onde o maçom é treinado para receber o seu mentor espiritual supremo (Baha’u’llah) que o ajudará a conquistar riquezas e repartir a terra como prêmio:

Com o auxílio de um deus estranho agirá contra as poderosas fortalezas; aos que o reconhecerem multiplicará a honra, e os fará reinar sobre muitos, e repartirá a terra por preço. (Daniel 11 : 39)

Notícia: O príncipe William, segundo na linha de sucessão da coroa britânica, recebeu nesta segunda-feira a mais alta comenda de cavalaria britânica.

Em uma cerimônia no Castelo de Windsor, William recebeu da rainha Elizabeth 2ª o título de Cavaleiro Real da Ordem da Jarreteira, estabelecida pelo rei Eduardo 3º em 1348 para honrar aqueles que contribuíram à vida nacional ou serviram ao detentor da coroa.

Com a comenda, o príncipe se tornou um dos 24 cavaleiros conhecidos oficialmente como cavaleiros-companheiros (ou damas-companheiras).

Existem 26 membros plenos da Ordem, entre eles a rainha Elizabeth 2ª e o príncipe Charles, pai de William e primeiro na linha de ascensão ao trono.

A rainha e Charles têm títulos honoríficos especiais dentro da Ordem, e a soberana pessoalmente é responsável pela indicação dos cavaleiros-companheiros.


Referências:
http://www.scriptaetveritas.com.br/07/index.php?option=com_content&task=view&id=104&Itemid=1
http://www.geocities.com/york_algarve/histmascriptica.html
http://www.samauma.biz/site/portal/conteudo/opiniao/ap00305simbinstrumentos.htm http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/06/080616_william_cavaleirorg.shtml

O Anticristo II


Nada há encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha a ser conhecido (Lucas 12 : 2)




...

A parábola sobre a decapitação dos cristãos na maçonaria
( baseado no livro o maçônico “ O mestre eleito dos nove)

Maçonaria-A religião do Anticristo

A origem do cristo da Globalização

O messias Judaico ou o Anticristo

Assinatura ocultista no retorno do príncipe Harry

Seria o Príncipe William o Anticristo?

O Anticristo

Príncipe Charles É Proclamado "Salvador do Mundo"
Devido a falta de conhecimento sobre a obra de Bahá’u’lláh o autor do site (David Bay) atribui o título de Besta do Abismo também para o Anticristo.

16 de jun de 2008

Boletos bancários serão movimentados por pulsos eletrônicos

Seria difícil exagerar o impacto psicológico e social resultante da esperada substituição da atual mistura confusa de sistemas monetários ? para muitos o último baluarte do orgulho nacional ? por uma única moeda mundial transacionada principalmente através de impulsos eletrônicos (comunidade Bahá’i).

Boleto eletrônico exigirá investimentos de R$ 20 milhões da CIP

Por Fabiana Monte, do Computerworld

O sistema de Débito Direto Autorizado (DDA), que entrará em operação no sistema bancário a partir de julho, receberá investimentos de 20 milhões de reais, apenas da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), em infra-estrutura.

Os bancos também terão que fazer mudanças em seus sistemas atuais de cobrança e de interface com a CIP e em comunicação com os clientes, para informar aos usuários sobre a inovação. "Como cada banco terá uma estratégia, não é possível estimar o investimento deles", diz Alexandre Rodrigos Cano, diretor de serviços bancários da Febraban.

O sistema foi criado pela Febraban para que os boletos bancários, como mensalidades escolares, planos de saúde e condomínios, sejam recebidos eletronicamente pelos clientes bancários. A expectativa é que, em três anos, saiam de circulação 800 milhões de boletos físicos. Em 2007, circularam em torno de 1,3 bilhão de boletos, 30% a mais do que no ano anterior.

Os 129 bancos que emitem boletos bancários terão que aderir ao sistema. Cano acredita que as empresas serão as principais beneficiadas pelo DDA, já que elas recebem um grande volume mensal de boletos físicos. "Haverá um enorme ganho de produtividade", diz. "Há empresas que contratam serviços para verificar se tem cobrança contra elas nos bancos", completa. No caso de boletos emitidos por entidades que não sejam bancos, como condomínios e operadoras de cartão de crédito, o banco deverá entrar em contato com cada um desses clientes para montar uma interface. "Isso é o que deverá acontecer", acredita cano.

No caso de pessoas-físicas, caberá ao cliente da instituição bancária informar ao banco que quer aderir ao DDA. Quem fizer movimentações financeiras em mais de uma instituição bancária terá que se cadastrar em todas para poder visualizar seus títulos. Caso contrário, só poderá ver as cobranças no banco no qual estiver cadastrado. No entanto, ao aderir ao sistema por meio de um banco, o usuário estará, automaticamente, cadastrado no DDA.
Cano afirma que a Febraban e os bancos farão seminários de divulgação do novo sistema, além de campanhas de esclarecimento. "O DDA vai mexer um pouco com a cultura das pessoas e das empresas".
Para o diretor da federação, a principal vantagem do novo sistema será a redução anual de emissão de papel e de despesas com postagens. A emissão de papel deve cair até 40%, segundo estimativas da entidade.


http://idgnow.uol.com.br/internet/2008/06/13/boleto-eletronico-exigira-investimentos-de-r-20-milhoes-da-cip/

PARA QUÊ E PORQUÊ DIVIDIR A BOLÍVIA?

Dividir para melhor governar! Esse é o lema da nova ordem mundial. O primeiro passo consiste em criar um inimigo imaginário para o socialismo. Nesse caso os EUA investem no separatismo para dividir o país com tendências socialistas:

Eva Golinger: "Agências ianques investem US$ 125 milhões nos separatistas bolivianos"

A Bolívia, tanto como a Venezuela, é vítima da subversão imperial dentro da sociedade civil. As agências norte-americanas Fundo Nacional pela Democracia (NED pela sigla em inglês) e a Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID) investem mais de 125 milhões de dólares na penetração e infiltração em diferentes setores bolivianos, incluindo o governo, anualmente", denuncia a advogada venezuelano-americana, Eva Golinger. Ela é autora do livro O Código Chávez que, baseado em documentos da Agência Central de Inteligência dos EUA, CIA, e do Departamento de Estado, mostrou a ativa participação do governo Bush no fracassado golpe de Estado do 11 de abril de 2002 contra o presidente Hugo Chávez.

http://www.horadopovo.com.br/2005/maio/13-05-05/pag8a.htm


Depois de algum tempo o plano começa a ter efeito. A Bolívia foi separada com sucesso:

10/05/2008 - 01h01
População de Santa Cruz aprova autonomia da Bolívia com 85% dos votos

da Efe, em La Paz
da Folha Online

O estatuto sobre a autonomia da região boliviana de Santa Cruz, que se opõem ao governo de Evo Morales, recebeu um apoio superior a 85% no referendo de domingo passado, informou hoje a CDE (Corte Departamental Eleitoral) após finalizar a apuração.

Segundo relatório final da CDE publicado em seu site, o "sim" recebeu 477.872 votos (85,6%), enquanto o "não" obteve 80.380 votos, equivalentes a 14,4%.

A abstenção nessa consulta, na qual estavam habilitados para votar mais de 930 mil cidadãos de Santa Cruz, foi de 37,91% frente a uma participação que chegou a 62,09%.
http://www.folha.com.br/

O separatismo provoca mais injustiça é má distribuição de renda. Para resolver esse problema Baha’u’llah propõe ajustes econômicos usando um imposto global semelhante a taxa tobim que deverá ser aprovado pelo Anticristo em breve. Ao criar um inimigo americano separatista para o socialismo abriu-se a porta esperada por Baha’u’llah para implantar o cooperativismo através do uso de feitiçaria.

Porque Deus tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma idéia, e que dêem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus. (Apocalipse 17 : 17)
O próprio Baha’u’llah afirma na décima-quinta Boa-Nova da epístola de BISHÁRÁT sobre a união entre o comunismo e o capitalismo o seguinte:

“Embora uma forma republicana de governo seja de proveito para todos os povos do mundo, a majestade da realeza é, no entanto, um dos sinais de Deus. Não desejamos que disso os países do mundo fiquem privados. Se os homens e sagacidade combinarem as duas formas em uma só, grande será sua recompensa na presença de Deus.”


Dessa forma será implantado em escala mundial o sistema “cooperativista”, ou seja, um sistema totalitário disfarçado em nome do bem comum.
Obs.: A Epístola de Bishárát também foi alterada para ser usada na fusão entre a cabala e a maçonaria que darão inicio a “economia divina” descrita em Ap.13:17.

13 de jun de 2008

ONU: Situação do Zimbábue é grave e se deteriora

O subsecretário-geral de ajuda humanitária das Nações Unidas, John Holmes, afirmou que a situação do país é “preocupante” e está se deteriorando.Segundo ele, quatro milhões de zimbabuanos precisariam de assistência – o que representa 1/3 da população do país.
Holmes destacou que a situação é preocupante, especialmente no que diz respeito à segurança alimentar, já que “a próxima colheita provavelmente irá satisfazer apenas um quarto das necessidades do país”.
O subsecretário falou à imprensa após entregar um relatório sobre o tema ao Conselho de Segurança e condenou a proibição do governo de permitir o trabalho de campo de grupos privados de ajuda humanitária.
De acordo com ele, a suspensão por tempo indefinido do trabalho das organizações não-governamentais era “particularmente lamentável”.
Uma porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, afirmou que o Conselho de Segurança deve agir rapidamente para “prevenir uma deterioração ainda maior da situação humanitária e da segurança da região”.
Tensão
O Departamento de Estado americano havia acusado, também na quinta-feira, as forças de segurança do país por desviar um caminhão com ajuda em alimentos enviado pelos Estados Unidos para crianças subnutridas e a distribuir a comida entre membros do partido governamental de Robert Mugabe.
A tensão entre a o governo e a oposição é grande no país e antecede as eleições presidenciais, agendadas para 27 de junho.
Na quinta-feira, o subsecretário do partido da oposição, Tendai Biti, foi preso em Harare acusado de traição e o candidato da oposição à presidência, Morgan Tsvangirai também ficou detido por algumas horas.

12 de jun de 2008

A formação do Super Estado mundial.


“Tal estado terá que incluir dentro de seu campo de ação um Executivo Internacional capaz de exercer autoridade suprema e inquestionável sobre qualquer membro recalcitrante da comunidade mundial; um Parlamento Mundial, cujos membros serão eleitos pelos povos de seus respectivos países..”(do livro A nova ordem Mundial de Baha’u’llah)

Após a conclusão do Kitáb’i’Aqdas em 1873 (a carta magna da nova ordem mundial) e a morte de Baha’u’llah em 1892, Abdú’l’Bahá (foto) iniciou um período de viagens estratégicas para consolidar definitivamente a nova ordem. Abaixo segue uma rápida cronologia de suas viagens.

1909, agosto a 1911, agosto 'Abdu'l-Bahá viaja ao Egito e divulga a Fé de Bahá'u'lláh.
1911, 11 de agosto 'Abdu'l-Bahá parte para a Europa.
1911, 4 de setembro 'Abdu'l-Bahá chega em Londres para Sua primeira visita à Europa. - Por três meses divulga a Mensagem de Bahá'u'lláh em Londres, Bristol e Paris.
1911, 2 de dezembro 'Abdu'l-Bahá volta ao Egito, onde passa o inverno.
1912, 11 de abril 'Abdu'l-Bahá chega em Nova Iorque para uma estada de 9 meses durante a qual percorreu os Estados Unidos de costa a costa, além de visitar o Canadá.
1912, 5 de dezembro 'Abdu'l-Bahá parte para a Europa.
1912, 13 de dezembro 'Abdu'l-Bahá chega em Londres para uma Segunda visita à Inglaterra e, em seguida, à França. Também visitaria Stuttgart, na Alemanha, Viena, na Áustria, Budapeste, na Hungria, entre outras cidades nas quais ficou por apenas um ou dois dias.
1913, 13 de junho 'Abdu'l-Bahá parte em direção ao Egito, encerrando Suas históricas viagens ao Ocidente, durante as quais a Fé Bahá’í foi apresentada em grandes encontros com todos os níveis da sociedade e proclamada intensamente pela imprensa americana e européia.
1913, 5 de dezembro 'Abdu'l-Bahá volta à Terra Santa

Para cada uma dessas regiões: Egito, Estados Unidos, Inglaterra, Europa e a Terra Gloriosa (Israel); foram entregues uma parte do governo mundial que serão reunidas muito em breve no futuro parlamento:

1) Do Egito: O Egito é regido pelo Deus hórus ou o olho de Lúcifer que Simboliza o olhar de satanás sobre as finanças do mundo e que hoje encontra-se em poder dos EUA.

2) Dos Estados Unidos: Na sua viagem aos EUA Abdu’l’bahá consolidou a economia americana como a predominante no mundo, sendo que até os dias de hoje é controlada pelo olho de Hórus (vide nota de um dólar) , mas isso por pouco tempo. A independência dos EUA e a sua divisão política são um modelo que será aplicado em escala mundial.

Um dos motivos da revolta da independência dos EUA foi a criação de um selo econômico. Algo semelhante a esse selo será implantado na humanidade, mas a revolta será contida através do uso de feitiçaria (como descrito no livro de Apocalipse cap.13) para tapear boa parte da humanidade.

3) Da Inglaterra: O governo mundial proposto por Baha’u’llá pretende usar o sistema parlamentarista de consulta e cooperação tendo como um executivo mundial alguém da coroa britânica (o Anticristo). Assim como na Inglaterra, a igreja terá grande participação no governo mundial através do parlamento das religiões, onde o falso profeta (o papa) será o líder supremo.

3) Da União Européia: Será aplicado em escala global o seu sistema financeiro unificado (o euro).

3) E da Terra gloriosa (Israel): A casa universal e a casa guardiana aguardam a chegada de dois mentores espirituais praticantes de maçonaria e cabala.

Em quanto o parlamento mundial não é criado para unificar todos os sistemas descritos acima, compete a Casa Universal de Justiça promover a “paz” menor até a retirada de Baha’u’llah do abismo.

Somente com a retirada de Baha’u’llah ele receberá o poder e o trono de satanás para influenciar a mente de seus 12 Apóstolos humanos (A besta de 10 chifres e a de 2 chifres) para criarem a grande assembléia mundial.

Para consolidar toda essa nova ordem Baha’u’llah propôs um imposto único sobre operações financeira como a taxa Tobim (algo semelhante a uma CPMF global) e de forma definitiva instalar a nova ordem portadora do seu nome, número e sinal.

A última cartada de satanás para colocar os evangélicos no futuro parlamento foi disfarçar o número da Besta de 10 chifres da seguinte forma:

Baha’u’láh dividiu a assembléia mundial em três grupos de três pessoas (3+3+3) e isolou o Anticristo (1) do grupo como aprendiz. A ONU procura um líder mundial não do tipo sabe tudo (clique aqui para ler) e sim alguém que cresça no poder de forma gradativa. Dessa forma quando os líderes evangélicos (por não lerem, detestarem o livro de Apocalipse e pela falta de discernimento) verão apenas nove pessoas e descartarão o aprendiz,ou seja, o Anticristo. Dessa forma serão levados como gado para o matadouro.



Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo? (Lucas 12 : 56)

...

Obs. Existem várias assinaturas ocultistas nas datas das viagens de Abdu'l'Bahá para o total êxito do seu plano.

Os Novos Desafios da União Européia

“Exteriormente, Paris é muito bonita. As evidências da civilização material são muito grandes naquela cidade, mas a civilização espiritual está bem atrasada.” (uma avaliação da Europa feita por Abdu’l’bahá).


A Comunidade Européia (CE), através do Tratado de Maastrich, avançou seu processo de integração em 31 de dezembro de 1992, tornando-se União Européia (UE). Em 1º de janeiro de 1995 a Áustria, a Finlândia e a Suécia aderem à UE, que se trnasforma em Europa dos 15. A UE constitui o processo de integração supranacional mais avançado e institucionalizado, cujas origens remontam ao início dos anos 50. Desta forma, a integração oeste-européia esteve intimamente associada à Guerra Fria. Justamente quando o processo integrativo atingia seu ápice, a Guerra Fria encerrou-se.


A queda dos regimes socialistas do leste europeu e a desintegração da própria União Soviética, então, introduziram fortes elementos de instabilidade para a integração da UE: migrações, fragilidade político-social, conflitos nacionalistas e desequilíbrios macroeconômicos. O próprio modelo de integração voltou a ser questionado: Qual o grau de integração? Uma Europa das Nações ou das regiões? Ou apenas uma ampla área de livre comércio, como querem os conservadores ingleses? O que fazer em relação aos pedidos de adesão dos países do leste europeu? Como criar uma diplomacia, uma política de defesa e uma moeda comuns?


Ao lado das novas incertezas que desafiam aquele que constituiu um dos modelos mais respeitados de integração, a própria situação interna da UE requer respostas urgentes: ascensão da xenofobia, nacionalismos, extrema-direita, tudo isto em meio à elevadas taxas de desemprego e o visível desgaste dos sistemas políticos. Além das acentuadas desigualdades regionais que marcam o velho continente, aproximadamente três quartos do comércio externo dos mesmos ocorre entre eles próprios, em proveito da produção manufatureira tradicional da RFA. Ou seja, a "envelhecedora fortaleza" européia constitui sobretudo uma forma de resistência à voracidade do capitalismo japonês e a alguma reação desesperada da declinante economia americana. Um fato interessante é que os países europeus que adotaram os projetos neoliberais (Grã-Bretanha, Bélgica, França, Espanha) vivem uma estagnação prolongada, enquanto os que evitaram os aspectos ortodoxos do ideário econômico liberal, afirmaram-se como centros dinâmicos da Europa (os países escandinavos e o arco alpino).

http://www.zaz.com.br/vizentini/livro/livro_02_2.htm


Da Comunidade Européia à Moeda Única

O EURO é um passo histórico no processo de construção de um projeto de UNIÃO coerente e sustentado. Desde a criação da CEE (Tratado de Roma) em 1957, passando pela União Aduaneira e Política Agrícola Comum nos anos 60, pelas políticas comuns dos anos 70, pela reanimação do ideal comunitário dos anos 80, até o Mercado Único e Moeda Única nos anos 90, o EURO constitui-se no último passo dessa longa jornada.

A primeira etapa da UEM (União Econômica Monetária), iniciada em 1º de julho de 1990, foi a liberalização dos movimentos de capitais, bens, serviços e pessoas, a coordenação de políticas econômicas financeiras e monetárias entre os Estados-membros. Na segunda etapa ocorre o reforço na coordenação dessas políticas, a criação em 1994 do Instituto Monetário Europeu, em Frankfurt e o BANCO CENTRAL EUROPEU, em 1998.

A terceira etapa consiste no início da circulação do EURO, a partir de janeiro de 2002 e a retirada das moedas nacionais de circulação em março de 2002.

É bem verdade que apesar da União Européia ser atualmente formada por 15 países, três deles (Reino Unido. Suécia e Áustria) ainda não aderiram à moeda única.

Como vantagens da moeda única tem sido apontado a elevação da eficiência microeconômica e condições mais favoráveis ao aumento de investimentos, a promoção da estabilidade dos preços, o saneamento das contas públicas, o incitamento à disciplina orçamental e a criação de uma moeda capaz de rivalizar com o dólar norte-americano.

Quantos aos custos, aponta-se para a redução da flexibilidade da política econômica, possibilidade de desequilíbrio de objetivos macroeconômicos: inflação versus desemprego, maiores problemas para países com menores níveis de desenvolvimento econômico e perda de soberania política.

Na verdade, o EURO deve ser visto como um instrumento e não um fim.


Conclusão

Como visto, a organização da União Européia não encontra similar no campo da Teoria do Estado, eis que não se enquadra em qualquer das formas de Estado conhecidas pelo Direito Internacional Público.

As diferenças entre o modelo de organização da União Européia e as organizações estatais convencionais são significativas, uma vez que a União Européia comporta algumas transferências de competências e de soberania que, embora tenham alcance bem maior do que ocorre com as organizações internacionais clássicas, não se aproximam dos modelos confederativo ou federativo.

Contudo, em que pese as dificuldades conceituais e mesmo as divergências de opinião entre especialistas e políticos que integram os poderes responsáveis pela administração da União Européia, o fato inegável é que o modelo vem se consolidando, ampliando seus domínios e chamando a atenção do mundo; e hoje um atrativo cortejado por outros países da Europa, que buscam ingressar no chamado processo de alargamento.

A necessidade de um novo modelo passa pela busca do equilíbrio entre as duas faces da integração (política e econômica), um modelo que permita maior unidade e solidariedade, preservando a diversidade e contemplando um elevado grau de subsidiariedade; é preciso fazer a transição para o novo modelo, cuja legitimação passa também por um referendum, que viabilize a criação de um verdadeiro Governo Europeu, um verdadeiro PARLAMENTO EUROPEU e, quem sabe, um novo Contrato Social.

Finalmente, a questão da União Européia, pelo seu imenso conteúdo econômico, passa também pelas discussões levantadas na última década e no início deste século acerca da GLOBALIZAÇÃO.

O tema é por demais interessante e vasto, não nos permitindo uma abordagem mais ampla neste espaço, razão pela qual apenas cabe registrar que, salvo melhor juízo, entendemos que a globalização (ou mundialização) sempre existiu, porém em níveis diferentes e remonta à época dos descobrimentos, caracterizando-se por um elevado grau de interdependências.

Cabe registrar, segundo seus críticos mais incisivos, a afirmação de que a globalização somente cria oportunidades para aqueles que estão em condições de utilizar e um vazio para aqueles que não possuem condições.

A globalização expõe as diferenças do sistema internacional, razão pela qual o mundo precisa pensar e discutir urgentemente seus rumos, sob pena de uma fragmentação, cujas proporções são inimagináveis.


http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=3640

A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS


“São poucos, se é que existe algum, eu me aventuraria a afirmar, dentre esses privilegiados criadores e custódios da constituição da Fé de Bahá'u'lláh, os que estão, mesmo que tenuemente, conscientes do papel preponderante que o continente norte-americano está destinado a exercer na futura orientação de sua Causa de âmbito mundial.” (S. Effendi Guardião Bahá’i)


A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS
A independência dos Estados Unidos serviu como um ponto de referência no processo político e econômico que resultou no fim o antigo regime. Por causa disso desenvolveu-se na América do Norte um tipo de regime político renovado: a República, baseada na democracia representativa.
Os Estados Unidos teve origem com trezes colônias inglesas na América, isto a partir do século XVII. Num período de dois séculos, foi reunido mais de 2 milhões de habitantes. Entre colônias do Norte e do Sul havia grandes diferenças. Isto porque nas colônias do norte, a estrutura administrativa era baseada em uma ocupação de pequenas propriedades e colonos livres; nas do sul, era o oposto: grandes fazendas de produtos tropicais, cultivados por escravos africanos. Mesmo com essas diferenças,e como conseqüência, os vários conflitos resultantes, não impediu a formação de uma nação soberana e unificada.
As colônias do Norte e do Centro tiveram um desenvolvimento bem deferente das do Sul. Nestas regiões predominavam as pequenas e medias propriedades. O trabalho era livre, exercido por colonos que fugiram da Europa por motivos políticos ou religiosos.
Por causa do clima da região, os produtos agrícolas eram semelhantes aos cultivados na Europa, isto gerava pouca lucratividade. Isso enfraqueceu o comércio com a metrópole, pois, não havendo cargas que fossem e viessem da metrópole para colônia e vice e versa, o frete ficava caro. Apesar de proibida a existência de manufaturas, os ingleses permitiriam aos colonos do centro-norte uma certa autonomia econômica.
Manufaturas e policulturas trouxeram desenvolvimento econômico. O excedente logo passou a ser comercializado com as colônias do Sul, abastecidas até então pela metrópole. A região Sul, por ser mais próxima dos trópicos, passou a se especializar no cultivo de produtos como tabaco, anil e algodão, destinados a exportação. O comércio de produtos tropicais dava muitos lucros para a camada dominante. Essa forma de exploração também afetou a estrutura da propriedade e das relações de trabalho. Ali predominavam a grande propriedade, a monocultura e o trabalho escravo.
As atividades comerciais dos colonos do Norte ultrapassaram as fronteiras da nova Inglaterra. Começam a surgir os triângulos comerciais. O de mais destaque foi o que envolvia a exportação de peixe, gado e produtos alimentícios para as Antilhas. Lá, os colonos-comerciantes compravam melaço, rum e açúcar. Em Nova York e na Pensilvânia, transformavam o melaço em mais rum, que trocavam por escravos na África. Estes eram vendidos nas Antilhas ou nas colônias do Sul.
Outro triangulo começava na Filadélfia, Nova York, com carregamentos trocados na Jamaica por melaço e açúcar. Esses produtos eram levados para a Inglaterra e trocado por tecidos e ferragens, que eram trazidos para a Filadélfia.
As leis inglesas de navegação não tinham como proibir o desenvolvimento das colônias do Norte, isto porque estas leis não tinham como ser aplicadas. Mas quando o comercio colonial começou a concorrer com o metropolitano, naturalmente começaram a surgir atritos que resultaram na emancipação das treze colônias.
A reação da metrópole
O crescimento do comercio colonial começou a preocupar a Inglaterra, isto induziu a uma mudança na política. Outro dado importante que contribuiu para a mudança: foi a Guerra do Sete Anos (1756-1763), entre ingleses e franceses. Como a Inglaterra venceu, ela se apossou de grande parte do território colonial Francês.
Ao mesmo tempo, o Parlamento inglês decidiu aumentar as taxas e os direitos da Coroa na América, para assim pagar parte dos custos da guerra. Esta medida tinha como objetivo também punir os colonos, porque durante a guerra, eles aproveitaram para fazer negócios com os franceses no Canadá e nas Antilhas e ainda cederam homens e recursos materiais aos inimigos.
George Grenville, primeiro-ministro inglês, decidiu colocar nas colônias uma força militar de 10 mil homens. O Parlamento também aprovou duas leis para arrecadar mais dinheiro as: Lei do Açúcar (1764) e a Lei do Selo (1765).
» Lei do Açúcar: esta lei estabelecia novas taxas alfandegárias sobre grande quantidade de produtos estrangeiros, entres estes estavam o melaço antilhano, que era importante para a fabricação de rum e açúcar.
» A Lei do Selo: esta lei exigia que fossem colocados selos em documentos legais, contratos comerciais, jornais e até em baralhos. Esta lei desagradou muito aos colonos, que protestaram, e fizeram uma reunião em Nova York, em 1765, o Congresso da Lei do Selo, que, mesmo afirmando serem fieis a Coroa, decidiram boicotar o comercio inglês.
O resultado foi a revogação desta lei e a redução das taxas sobre o melaço.
Havia problemas não só de ordem econômica, mas também intelectual, pois a elite norte-americana e muitos dos colonos estavam sendo influenciados pelos ideais iluministas. Essas pessoas tinham o sonho da formação de um novo país, independente e livre.
Os colonos continuaram a contestar o direito legislativo do Parlamento inglês, recusando-se a cumprir a Lei do Aquartelamento (1765). Lei que exigia aos colonos que contribuíssem com alojamento, comida e transportes para as tropas inglesas enviadas as colônias.
Em 1767, o novo primeiro-ministro, Charles Townshend, fez mais uma exigência: que os colonos pagassem mais impostos sobre produtos importados. estes foram chamados Atos Townshed. A resposta dos colonos foi o boicote as mercadorias inglesas. Por causa disso, em 1770, foram abolidos os Atos Townshend, menos o imposto referente ao chá.
A crise teve o auge em 1773, porque a Lei do Chá dava o monopólio desse comercio a Companhia das Índias Orientais. A Companhia transportaria o chá diretamente das índias para América. Esta atitude deu grandes prejuízos aos colonos norte-americanos.
Mesmo assim o Parlamento ainda reagiu, pois em maio de 1774, o porto de Boston foi interditado até o pagamento dos prejuízos; Massachusetts e Boston ficaram sob controle militar.
Até 1763, o governo inglês tinha incentivado o povoamento a oeste das colônias, com o objetivo de combater as pretensões de invasão dos franceses e espanhóis.
Como a situação não estava de agrado do governo inglês, este resolveu mudar sua política no que diz respeito a ocupação das terras a oeste das treze colônias, já que a guerra dos sete anos havia acabado e agora as terras estavam em seu poder. Então em 1763, o governo proibiu a ocupação dessas terras por mais colonos norte-americanos. Então, em 1774, publicou o Ato de Quebec, onde toda a região do Ohio e do noroeste passou a ser da província de Quebec (no atual Canadá).
O resultado destas novas leis foi a falência dos primeiros colonos que, para pagar suas dívidas tiveram de vender suas propriedades e avançar em direção ao Oeste em busca de novas terras.
Em 1764, teve a Lei da Moeda, que proibia a emissão de dinheiros na colônia, isto servia para limitar a alta de preços dos produtos agrícolas e tornavam mais difícil a situação dos plantadores.
A Guerra de Independência Americana (1776-1783)
Os representantes dos colonos ficaram revoltados com as leis extremistas da metrópole, por isso reuniram no Primeiro Congresso Continental de Filadélfia, realizado em setembro de 1774.
Este congresso não tinha caráter não-separatista, mas foi decido enviar uma petição ao rei e ao parlamento inglês, com um pedido de revogação daquelas leis, em nome da igualdade de direitos dos nortes-americanos.
O Segundo Congresso Continental de Filadélfia, em maio de 1775, já assumia posições claramente separatistas. Em junho de 1776, a Virginia tomou a iniciativa de proclamar sua independência, por publicar uma Declaração dos Direitos Humanos. Para chefiar a resistência, foi nomeado George Washington. Em 4 de julho de 1776, quando estavam todos reunidos na Filadélfia, os delegados de todos os territórios promulgaram a Declaração da Independência redigida por Thomas Jefferson, com mudanças introduzidas por Benjamin Franklin e Samuel Adams.
A Guerra de Independência iniciou em março de 1775, quando Boston foi tomada pelos norte-americanos. Um problema enfrentado pelas forças rebeldes foi a falta de organização. Pois cada região encarava a guerra de um ponto de vista. Por exemplo: Os colonos canadenses permaneceram fiéis a Inglaterra. Os voluntários do exercito, alistados por um ano, quando vencia o seu tempo abandonavam a luta para cuidar de suas colheitas. Os oficiais, geralmente eram estrangeiros, e não se sentiam tão envolvidos no conflito.
A conseqüência foi a derrota em Nova York. Mas na Filadélfia os colonos ganharam novos ânimos, quando venceram a batalha de Saratoga.
Na França, a monarquia francesa estava muito interessada nos acontecimentos na América, pois eles colocavam em dificuldades sua grande inimiga, a Inglaterra.
Os norte-americanos tinham a certeza que somente com o apoio de alguma potência européia teriam forças para enfrentar com sucesso as forças inglesas.
O resultado da batalha de Saratoga acabou por dar uma espécie de garantia à França de que seria vantajoso para ela apoiar os norte-americanos, então em fevereiro de 1778, estabeleceu com o Congresso norte-americano um tratado de amizade, aliança e comércio. Este acordo assegurava aos rebeldes o apoio francês em homens, armas e dinheiros.
Com a ajuda marítima francesa, a guerra estendeu-se até o Caribe e as Índias. Em 1779, La Fayette conseguiu o envio para o território americano de 7500 franceses comandados pelo general Rochambeau. Nesse mesmo ano, a França conseguiu o apoio da Espanha para entrar na luta contra a Inglaterra. Em 1783, a Inglaterra sem mais nenhuma opção teve de reconher a independência dos Estados Unidos da América pelo Tratado de Versalhes. As fronteiras do novo país foram assim bem estabelecidas, a saber: ao noroeste, nos Grandes Lagos; a oeste, no rio Mississipi.
Em 1787, foi proclamada a Constituição norte-americana. baseada no espírito do Iluminismo, a Carta Constitucional definia o Estado como Republica Federativa presidencialista, esta estabelecia a existência de três poderes independentes: Executivo, Legislativo e Judiciário.
O chefe do executivo seria o Presidente da Republica, eleito pelo período de quatro anos por representantes das Assembléias dos cidadãos( o povo).
Comporiam o Legislativo, ou Congresso: a Câmara dos representantes, com delegados da cada estado proporcional ao número de sua população; e o Senado, com dois representantes por estado. O congresso ficaria com a função de votar leis e orçamentos. Uma Corte Suprema composta por nove juizes indicados pelo presidente resolveria os conflitos entre os estados e entre estes e a União

http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/adrienearaujo/historia028.asp

11 de jun de 2008

Os Alicerces da economia “divina “


Poucas pessoas deixarão de reconhecer que o Espírito insuflado no mundo por Bahá'u'lláh, Espírito esse que está se manifestando em graus variados de intensidade, mediante os esforços conscientes de Seus declarados apoiadores e, indiretamente, através de certas organizações humanitárias, jamais poderá penetrar no gênero humano e exercer uma influência duradoura, a não ser que, e até que, encarne em uma visível Ordem portadora de Seu nome, integralmente identificada com Seus princípios e funcionando de conformidade com Suas leis...” ( do livro: A Ordem Mundial de Baha’u’llah)

O imposto Global




Durante a sua viajem missionária nos EUA, o mestre da globalização Abdu’l'Bahá também proferiu palestras sobre o futuro ajuste da economia mundial:

“Bahá'u'lláh deixou princípios de orientação e ensinamentos para o reajustamento da economia” (9 DE JUNHO DE 1912 Palestra de Abdu’l no Templo Batista Esquina das Ruas Broad e Berks, Filadélfia, PensilvâniaSexto)

Não demorou muito para que o universo se movimentasse segundo as leis de Baha’u’llah. Em 1972 foi criada a taxa Tobim:

A Taxa TOBIM é um imposto único que varia entre 0,1 e 0,5% sobre todas as transações cambiais e possui os seguintes objetivos:

1) Reduzir os movimentos especulativos, normalmente de curto prazo. A menor volatilidade do mercado monetário resultante da aplicação da taxa teria como consequência a recuperação da capacidade de proteção das moedas ao nível nacional, face à desvalorização e crises financeiras.

2) Ela permite, não só garantir um ambiente mais estável para um desenvolvimento sustentável, como também os recursos necessários para iniciar o combate às desigualdades que caracterizam os vários países.

3) A taxa Tobin é por alguns apresentada como um instrumento que poderia resolver não só os problemas que a volatilidade dos mercados financeiros geram nos países, mas também o problema do crescente abismo entre ricos e pobres

As dificuldades, a criação do consenso, o uso de feitiçaria para estabelecer a nova ordem e a sua reprovação.

A maior dificuldade de implantar a referida taxa está na criação de um consenso satisfatório entre os países e líderes religiosos. Para esse fim a ONU está treinando através do processo de consulta os governantes nos mais diversos fóruns globais, dessa forma eles pretendem despertar o espírito de unicidade e amor global nos governantes. Sobre isso o próprio Abdu’l afirma em outra palestra:

Os corações devem estar tão unidos, o amor deve se tornar tão predominante a ponto de os ricos espontaneamente oferecerem auxílio aos pobres e tomarem a iniciativa de estabelecer estes ajustes econômicos permanentemente ( 23 DE JULHO DE 1912 Palestra de Abdu’l’Bahá no Hotel Victoria Boston, Massachusetts)


Essa união global proposta por Abdu’l não tem nada haver com a implantação do comunismo no mundo como pensa o filósofo Olavo de Carvalho. Essa estratégia alarmista do comunismo tem apenas a função de fazer com que simpatizantes e políticos de direita (de certa forma cristãos) façam parte da grande Assembléia mundial, pois o governo mundial não é de esquerda e muito menos de direita e sim cooperativo e de origem espiritual.


E finalmente com os corações clamando por uma solução e todos unidos em nome do bem comum Baha’u’llah poderá ser retirado do abismo, através do uso de feitiçaria, e seduzir todos os habitantes da terra.


A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá. (Apocalipse 17 : 8)

Assim como na agricultura, política, meio ambiente, técnologia e em outras áreas sociais o estandarte da economia divina descrita em Apocalipse 13:17 terá início e supostamente resolverá os problemas da humanidade com a implantação do sinal de “deus” de forma permanente.

E por fim..Baha’u’lláh propõe como solução para a humanidade justamente aquilo que DEUS condena:

Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. (I Timóteo 6 : 10)



Referência:
http://www.janusonline.pt/2003/2003_1_3_11.html

9 de jun de 2008

Ministro promete telecentros em todos municípios do País até o fim do mês

E o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm uma mesma língua; e isto é o que começam a fazer; e agora, não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer. (Gênesis 11 : 6)

Os telecentros e a inclusão digital são apenas o início de um projeto muito mais ambicioso!

A intenção da nova ordem vai muito além do estabelecimento de uma língua universal. O paraíso de Abhá na terra (é assim que a fé baha’i chama a nova ordem) seria composto por um templo baha’i, o Mashriqu'l-Adhká, e a junção da cidade de nasdar, onde são realizados centenas de testes para a futura Babilônia digital. Esses dois projetos seriam implantado em escala global.
É pelo início da construção do reino de Abhá (também conhecida por Baha'u'llah como a Nova Jerusalém materialista) que governantes, reis e diversos líderes religosos (inclusive alguns evangélicos) aguardam a chegada do cristo da globalização e seus nove mestres eleitos e cada dia dão pequenos passos rumo ao governo mundial tecnológico.

Notícia:
Rio de Janeiro - Ministro das Comunicações, Hélio Costa, diz que governo dedicou R$ 140 milhões à compra de 6 mil telecentros para o País.

Todos os municípios brasileiros terão telecentros até o fim do mês, revelou o ministro das Comunicações, Hélio Costa, na segunda-feira (02/06).

O governo aprovou um orçamento de 140 milhões de reais, que foi dedicado à construção de 6 mil telecentros, equipados com 10 computadores, roteadores, projetor de DVD, telão e móveis.

Costa aponta que até o dia 30 de junho os 5.640 municípios do Brasil terão recebido os equipamentos.

A ação alavancou as vendas de computadores no país, segundo o ministro e, pela primeira vez, as vendas de PCs ultrapassaram as de televisores. Costa afirma que, em 2007, foram vendidos 10 milhões de televisores, menos que os 10,5 milhões de computadores.

De acordo com a 18ª Pesquisa Anual da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP), em 2008 as vendas de PCs crescerão 16% sobre 2007.

O salto nas vendas do setor se deve à redução no preço dos equipamentos, segundo o ministro. Costa afirma ainda que o Brasil está à frente dos demais países latino-americanos no processo de inclusão digital.

Segundo previsão do ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, 80% dos brasileiros terão acesso à internet em 2010.

*Com informações da Agência Brasil
http://idgnow.uol.com.br/internet/2008/06/03/ministro-promete-telecentros-em-todos-municipios-do-pais-ate-o-fim-do-mes

FAO ANUNCIA MAIS US$1,2 BI EM AJUDA INÚTIL PARA ÁFRICA


Um dos ensinamentos de Bahá'u'lláh é o ajuste dos meios de subsistência na sociedade humana. Sob este ajuste não pode haver extremos nas condições humanas relativas à riqueza e à subsistência.

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon, estimou hoje que sejam necessários entre 15 a 20 milhões de dólares anuais para resolver a crise alimentar mundial, considerando que a Humanidade não pode fracassar na luta contra a fome.

ROMA, 4 JUN (ANSA) - O Programa Alimentar Mundial (PAM) da ONU irá destinar mais US$1,2 bilhão para ajudar as dezenas de milhões de pessoas atingidas pela crise dos alimentos em 62 países, anunciou Josette Sheeran, diretora-executiva do organismo, em uma mensagem por escrito aos participantes da Conferência da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) sobre Segurança Alimentar, Mudanças Climáticas e Bioenergia.
"Se não agirmos rapidamente, as milhões de pessoas na faixa de renda mais baixa irão virtualmente duplicar de um dia para o outro, devido a um poder de compra arrasado pela duplicação do preço da comida e dos combustíveis", disse Josette, que comanda o organismo que este ano irá destinar cerca de US$5 bilhões para ajudar quase 90 milhões de pessoas em 78 países.
Josette explicou que a agência está ajudando o mundo a enfrentar a crise triplicando o número de pessoas que recebem comida no Haiti, duplicando os beneficiados no Afeganistão e dando maior assistência alimentar na Somália, Etiópia e Quênia. (ANSA)

http://www.ansa.it/ansalatinabr/notizie/fdg/200806041153315380/200806041153315380.html


Obs. Se a fome não se multiplicar a economia divina descrita em Ap (13:17) não poderá ser criada.