3 de mar de 2008

O eterno conflito do oriente médio terá um fim?


As resoluções sobre a internacionalização de Jerusalém se resumem em duas formas:

1. Aquelas que proclamaram a nulidade e invalidade de todas as medidas tomadas por Israel contrárias ao status legal da cidade exigiram sua evacuação, a repartição dos refugiados palestinos e a revogação de todas as medidas tomadas para alterar o caráter e status da cidade, incluindo todas as medidas legislativas e administrativas, transferências de população, confiscos e desapropriações de propriedade, e o desmantelamento das colônias.

2. O segundo grupo de resoluções é formado por aquelas que determinaram o regime internacional especial, Istoé, resoluções 181, 194 e 303 da Assembléia Geral da ONU, estas resoluções compreendem três elementos: (I) o princípio de internacionalização; (II) a provisão para a administração da cidade de um governador nomeado pelo Conselho Curador e assessorado pelos residentes de Jerusalém e do resto da palestina; (III) da reserva dos poderes de legislar e cobrar impostos a um conselho legislativo eleito pelos residentes da cidade.

O que Palestinos e Israelenses aguardam é o sinal do prometido, por isso eles rejeitaram os ensinamentos do Senhor Jesus:

Então alguns dos escribas e dos fariseus tomaram a palavra, dizendo: Mestre, quiséramos ver da tua parte algum sinal. (Mateus 12 : 38)


Jesus foi claro aos escribas quando disse que não enviaria sinal algum, pois quem fará esses sinais será a Besta do abismo (o sinal do [1] Profeta Jonas se refere ao arrependimento):

Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal do profeta Jonas. E, deixando-os, retirou-se. (Mateus 16 : 4)


Como Judeus e Palestinos não aceitaram os ensinamentos do Senhor Jesus, esse problema será resolvido pelo governo da Besta-ONU através de uma [2] Tese x Antítese que apenas aguardam uma síntese satisfatória.

Para resolver esse problema Baha’u’llah se apresenta como síntese espiritual. No artigo 165 da Lei do Kitáb ele pede para que os doutos da religião não rejeitem os seus sinais:

165. Ó congregação de doutos da religião! Quando Meus versículos desceram do alto e Meus sinais claros se revelaram, Nós vos encontramos atrás de véus. Isso, em verdade, é muito estranho. Ufanai-vos de Meu Nome e, no entanto, não Me reconhecestes quando o vosso Senhor, o Todo-Misericordioso, apareceu entre vós com provas e evidências.

Na epístola LAWH-I-KARMIL ele desvia todos os sinais do dia da revelação para Haifa no monte carmelo:

“Apressa-te, ó Carmelo, pois eis, a luz do semblante de Deus, - Quem rege o Reino dos Nomes e moldou os céus – sobre ti se ergueu.”


Quando Judeus, Palestinos e o Islã seguirem os sinais da Besta no Monte Carmelo, o Domo Rocha e os outros locais sagrados de Jerusalém não serão mais motivos de disputas por um curto período. As pessoas estarão tão hipnotizadas por esses eventos que aceitarão qualquer resolução da ONU.

O que Judeus e Palestinos não sabem é que o Conselho Econômico e Social da ONU é controlado pela fé Baha’i e que essas duas resoluções foram criadas na Casa Universal de Justiça em Haifa inspiradas nos ensinamentos de Baha’u’llah. Ou seja, quem aguarda uma resolução da ONU para o fim de todos problemas da humanidade automaticamente está seguindo a Baha’u’llah. O pior de tudo isso é que Baha’u’llah (o “senhor das religiões”) não precisou se quer fazer um sinal para que Judeus e Palestinos o seguissem.

[1] - Jonas 3:10
[2] - Base da Doutrina Marxista