12 de mar de 2008

A moeda ecologicamente incorreta

Um dos principais alicerces da economia “divina” é a preservação do meio ambiente. A legislação mundial do meio ambiente já está pronta! Ela se encontra na Casa Universal de Justiça (Haifa - Israel) e está sendo aplicada, de forma gradativa, principalmente pela mídia através de programas como o “globo ecologia.”

O apresentador Guilherme Berenguer usa abertamente, e sem nenhum remorso na consciência, a estratégia de manipulação número 5 (Dirigir-se ao público como se fossem crianças pequenas). O seu tom de voz cantado no final de cada texto trata os telespectadores como se fossem gorilas e agora o pior; a expressão do seu olhar, que é muito semelhante a da figura abaixo:




Com essa estratégia ridícula a globo conseguiu convencer empresários e uma boa parte da população dizendo que a terra passará por um processo de renovação. E assim surgiu os créditos de carbono que aos poucos está levando a terra para a tentativa inútil de arrecadar fundos para reconstruir o Jardim do Éden. Abaixo seguem algumas notícias comprovando que a Marca da Besta também possuirá valores ambientais e sociais:


A nova era que destruir (na verdade já está) a civilização :

Poupar luz pode gerar crédito de carbono

O governo federal vai mensurar quanto os programas de economia de energia pouparam de eletricidade e avaliar quanto isso pode render em créditos de carbono a serem vendidos para países desenvolvidos. Estimativas iniciais do Ministério de Minas e Energia indicam que o Brasil pode obter entre US$ 70,8 milhões e US$ 132 milhões, mas o estudo deverá trazer dados mais precisos.

http://www.pnud.org.br/energia/reportagens/index.php?id01=2671&lay=ene


BNDES oferece milhões para destruir a nossa atual civilização:

28/02/08 - BNDES oferecerá R$ 400 milhões a "projeto verde"
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou esta seman a criação do Fundo Brasil Sustentabilidade (FBS), uma linha de crédito voltada exclusivamente para projetos no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) previsto no Protocolo de Kyoto. A nova linha terá patrimônio entre R$ 250 milhões e R$ 400 milhões, dos quais R$ 100 milhões provenientes do BNDESPar.
A prioridade do FSB será apoiar projetos com potencial de geração de Reduções Certificadas de Emissão, popularmente conhecido como créditos de carbono.

Aos pobres pertence o reino da besta:

CRÉDITOS DE CARBONO: DA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE À SUPERAÇÃO DA POBREZA
Lançamento do Fundo CARE Brasil de Carbono Social na Conferência das Partes (COP 12), Nairobi
A CARE Brasil, em parceria com a empresa CO2e., lança o Fundo CARE Brasil de Carbono Social no dia 6 de novembro, na sala “African Tulip Tree”, das 15h15 às 16h45 em horário local (10h15 às 11h45 no horário de Brasília), da Conferência das Partes, realizada em Nairobi, Quênia.
Esta é a primeira iniciativa que associa Créditos de Carbono a benefícios para as comunidades, visando não somente mitigar as mudanças climáticas, mas também contribuir para a superação da pobreza e o fortalecimento do desenvolvimento social. Os projetos serão desenvolvidos em quatro importantes e estratégicos biomas brasileiros: Mata Atlântica, Amazônia, Cerrado e Caatinga, onde a CARE Brasil já atua em programas sociais de combate à pobreza.

http://www.bansen.com.br/saladeimprensa/care/créditos%20de%20carbono%20-%20da%20preservação%20do%20meio%20ambiente%20Ã

Poderá a palavra da rede globo e toda a mídia globalista resistir ao Apocalipse capítulo 16 e 9?

Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. (João 3 : 36)

Outros links interessantes:

http://www.panda.org/ (organização ambiental que conta com a participação e financiamento da fé baha’i e outros globalistas milionários)

http://editorabahai.com/zencart/index.php?main_page=product_info&cPath=36&products_id=1047 (livro baha’i que ensina os caminhos da economia divina ecologicamente “correta”).