14 de out de 2008

AS CINCO ETAPAS DA CONSULTA

A poderosa mão de Baha’u’llah e as cinco maneiras de perpetuar o caos no mundo através da manipulação espiritual. Afinal... quem vai acreditar que o Kitáb-i-aqdas (um livrinho tão fino) manipula mentes e corações humanos?
O processo de consulta foi criado no século XIX pelo profeta Baha’u’llah ele serve para moldar mentes e corações dos políticos e reis da terra (presidentes, governadores, deputados, ministros, etc.). Reconhecer a “onipotência” e o poder “ inescrutável” de Baha’u’llah , esse é o seu objetivo final. Sobre esse “poderoso” evento a pena do guardião da fé descreve o seguinte :

“...A Ordem Mundial de Bahá'u'lláh liberou estas forças continuará, em Sua sabedoria inescrutável e por seu poder onipotente, a moldar e dirigir o curso deles para a glória, a emancipação final, e o reconhecimento absoluto de Sua Fé...” (Shoghi Effendi – A nova ordem mundial de Baha’u’llah)

Devido a incopetência dos líderes e políticos mundiais em propor soluções para a humanide, a comunidade Baha’i criou o plano de cinco etapas da consulta multlateral.
Essas etapas surgiram para que políticos em geral sejam adestrados de forma gradativa para entrarem no vale da unidade (ver os sete trovões do apocalipse).

As cinco etapas também podem ser classificadas como uma das infintias vozes dos trovões do Apocalipse.

E clamou com grande voz, como quando ruge um leão; e, havendo clamado, os sete trovões emitiram as suas vozes. (Apocalipse 10 : 3)

É nesse vale que toda a humanidade deve estar para aceitar a revelação e os sinais de Baha’u’llah como verdadeiros. O importante da consulta é fazer com que todos obeceçam as leis do Kitáb-i-aqdas sem saber que esse livro existe. Quanto menor for o número de pessoas que conhecem a verdade, mais pessoas serão manipuladas espiritualmente pela fé. Isso funciona como uma isca em um anzol, nesse caso, a isca chama-se unidade da humanidade. Ela também serve para pegar todos os negligentes e desatentos que despresam a palavra de DEUS:

Ele a todos levantará com o anzol, apanhá-los-á com a sua rede, e os ajuntará na sua rede varredoura; por isso ele se alegrará e se regozijará. (Habacuque 1 : 15)

O processo de consulta também serve para que os líderes mundiais cheguem a uma solução provisória sobre qualquer problema global. A consulta também está dividida em 5 etapas que podem ou não fracaçar em qualquer nível durante a realização do processo que são:

I. CONCORDAR SOBRE OS FATOS

Na primeira etapa os fatos informativos e as estatísticas sobre o tema são apresentados para votação. As opiniões pessoais deveriam ser deixadas de lado, mas em muitos casos o fracasso da consulta ocorre logo na primeira etapa. É muito comum surgirem divergências entre dados estatísticos e relatórios nessa fase. A solução para o aquecimento global é um exemplo de fracasso na etapa 1.


II. CONCORDAR SOBRE OS PRINCÍPIOS ENVOLVIDOS

Os líderes mundiais devem consultar a legislação vigente para tentar solucionar os problemas. Elas podem ser de origem espirituais, legais, morais, administrativas, ou ainda normativas por tradição. Muitas reuniões são encerradas nessa fase devido a falta de consenso entre religiões ou de legislações vigentes.

III. CRIATIVIDADE PARTICIPATIVA INTEGRAL

Nessa etapa cada participante expressa a sua sugestão pra a resolução do problema. Como todos os presidentes e reis da terra são totalmente desinformados e sem instrução (vide o presidente “lula”), eles costumam apresentar idéias absurdas e ridículas.
Um exemplo de solução ridícula foi apresentada pelo presidente do Irã quando esse disse que Israel deveria sumir do mapa.

IV. FORMULAÇÃO DA MOÇÃO E VOTAÇÃO RESPECTIVA

Se alguma reunião sobreviver as três etapas anteriores a proposta final irá para votação:

A aprovação ocorre de duas maneiras:
1) Por unanimidade, com o consenso do grupo
2) Por voto da maioria

Muitas reuniões também acabam por aqui, pois existem interesses políticos, econômicos e uma corrupção generalizada envolvendo os líderes mundiais.

V. DEFINIÇÃO DA AÇÃO

Se a reunião não fracassou em nenhum dos itens acima, é impossível que não fracasse nessa fase. O seu fracionamento em seis partes permite o surgimento de novas divergências que tornarão impossível a solução de qualquer problema global.

Toda decisão deve ser complementada pelas seis ações abaixo:

1. O QUE deverá ser feito,
2. QUEM o fará.
3. COMO será feito.
4. EM QUE TEMPO.
5. ONDE. ( nas etapas 4 e 5 podemos citar o exemplo da invasão dos EUA no Iraque).
6. COM QUE RECURSOS, (devem ser claramente definidos os recursos financeiros e de materiais, se necessários).

È na etapa 6, a liberação de recursos financeiros, que surge uma suposta solução para o problema previamente fabricado da vez.
Misteriosamente as crises ambientais, ficanceiras, políticas e sociais sempre aparacem quando um determinado país está perto de cumprir as metas do milênio que foram elaboradas pela ONU.

Esse espetáculo que já virou uma rotina insuportável nos jornais, problemas, soluções e problemas, continuará até o dia em que a unidade estiver totalmente criada para que o governo mundial de Baha’u’llah receba poder:

E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a besta. (Apocalipse 17 : 12)


Agora é a vez de aplicar a consulta multilateral divina na besta de 10 chifres. A decisão do Executivo mundial (anticisto) não pode ser questionada por ninguém; sendo ele um “moleque depravado” e irresponsável a sua administração será a mais desastrosa de todos os tempos, e isso mesmo com a sua habilidade nos negócios.