15 de jul de 2008

Os alicerces da educação “divina”


“Deveis vos esforçar por entender os mistérios de “deus”, atingir o conhecimento perfeito e alcançar visão, beneficiando-se diretamente do Sol da Realidade e recebendo a porção que lhe é destinada das antigas dádivas de “deus”. 17 DE AGOSTO DE 1912 Palestra de Abdu’l’bahá no Green Acre.” ( a ênfase “deus” em minúsculo é minha).


O estatuto da criança e adolescente (ECA) foi criado para complementar a meta do milênio número 2 (educação básica para todos). Tanto as metas do milênio como o ECA foram totalmente inspirados nas leis do Kitáb’i’aqdas (a carta magna da nova ordem mundial) que se encontra em poder da Casa Universal de Justiça. Nesse caso, a lei encontra-se descrita no artigo K-48 descrito abaixo:

“K- 48. A todo o pai se ordenou a instrução do filho e da filha na arte de ler e escrever, e em tudo que se encontra registrado na Santa Epístola.”

A Santa Epístola que Baha’u’llah se refere chama se “Lawh-i-Maqsúd.” Como ela é de difícil entendimento para os governantes Abdu’l’bahá (seu filho) proferiu uma palestra durante o ano de 1912 para os primeiros globalistas entenderem melhor. Abaixo um trecho dessa palestra:

“E outro dos princípios de Bahá'u'lláh é a promoção da educação. Toda criança deve ser instruída nas ciências tanto quanto necessário. Se aos pais for possível arcar com as despesas decorrentes dessa educação, ótimo; do contrário, incumbe à comunidade providenciar o ensino da criança. E figuram entre os preceitos de Bahá'u'lláh a justiça e o direito. “ (do livro Seleção dos Escritos de Abdu'l' Bahá).

Basta comparar a palavras de Abdu’l’baha com o artigo número 4 das disposições preliminares da UNICEF sobre o tema para observar que ele foi totalmente inspirado nos ensinamentos de Bah’u’llah.

Art. 4° – É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do Poder Público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

Essas legislações complementares servem para mobilizar a sociedade para aceitar as leis do Kitáb-i-aqdas e abandonar a verdade absoluta que é a Bíblia sagrada.

O primeiro passo para aplicar essa legislação global no Brasil foi atribuir o número 9 (que representa Baha’u’llah) ao ensino fundamental como descrito na notícia abaixo:

Novo ensino fundamental com 9 de anos

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que institui o ensino fundamental de nove anos. Alguns Estados (Alagoas, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, entre outros), além de mais de mil municípios, já adotaram a prática...”



Passado algum tempo o atual presidente brasileiro sancionou a lei N º 11.525 que inclui o ECA no currículo escolar:

LEI Nº 11.525, DE 25 DE SETEMBRO DE 2007.

Acrescenta § 5o ao art. 32 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para incluir conteúdo que trate dos direitos das crianças e dos adolescentes no currículo do ensino fundamental.


E hoje a comunidade (país, filhos e professores) estão totalmente envolvido com o projeto do ECA ( estatuto da criança e do adolescente).

Direito se aprende na escola
“Agora é lei: o Estatuto da Criança e do Adolescente faz parte, oficialmente, do currículo escola...’

Esse longo processo que tem origem em uma lei espiritual e se reflete no mundo material através dessas legislações possuem o objetivo final de instalar o Bahaismo em escala global nas escolas. Isso já vem acontecendo em Portugal como descrito na notícia abaixo:

Bahá'í é uma religião ensinada nas escolas públicas portuguesas
Stella Rodrigues ensina contabilidade em Viana do Castelo, mas é na Secundária de Monserrate, do mesmo concelho, que lecciona uma aula especial: a Educação Religiosa segundo os Ensinamentos Bahá'í (EREB).

Essa legislação apesar de ser doce para a boca chega ao estomago com o gosto muito amargo. A humanidade está sendo condicionada por um processo de mudança de comportamento chamado de “Os sete vales”, onde o objetivo é plantar a semente do espírito de unicidade global (etapa 4) em cada criança, adolescente e até mesmo nos pais. Isso foi definido por Habacuque como uma das formas em que a Besta ajuntará para si todos os povos e nações:

Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos. (Habacuque 2 : 5)


Com a retirada de Baha’u’llah do abismo cada pessoa que foi condicionada por esse processo receberá o falso “espírito santo.”
E aqui começa o problema, pois as pessoas não terão equilíbrio espiritual devido a ausência do verdadeiro Espírito Santo. Não terão paz e sim agitação. Isso apenas vai gerar mais conflito e produzir exatamente o inverso, pois o Senhor Jesus não tem parte alguma com esse governo. As crianças se transformarão em criaturas desobedientes, ingratas ou em verdadeiros monstros como descrito em (II Timóteo 3:2):

Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, (II Timóteo 3 : 2)