8 de mai de 2008

Os alicerces da agricultura "divina"


Após ser eleito no seu primeiro mandato, o atual presidente “lula” recebeu durante uma cerimônia um pouco secreta vários livros referentes a Nova Ordem Mundial de Baha’u’llah. Um dos temas principais contidos em alguns desses livros é criação da agricultura global ou a agricultura “divina”. Eis aqui um resumo desse plano com alguns comentários:

A base fundamental da sociedade é a agricultura, o cultivo da terra. Todos devem produzir.

Comentário: Procurando investir no futuro mercado de agricultura global, mega-milionários como Bil Gates (Dono da Microsoft) já começaram a investir em projetos como o banco global de sementes.

“Cada pessoa na comunidade, cujas necessidades forem iguais à sua capacidade produtiva individual, deve ser isenta de taxação. Mas se a sua renda for maior do que suas necessidades deve pagar tributo até que um ajustamento seja estabelecido.”

Comentário: Essa solução resolveria o problema do fracasso da reforma agrária no Brasil. As pessoas do campo vivem em um ciclo destrutivo que sempre termina com a falência dos micro-agricultores. Só no Brasil esse sistema de reforma agrária dura vinte anos. Uma tributação justa poderia até resolver o problema.

“Também devem ser consideradas emergências tais como a de um determinado agricultor cujas despesas elevem-se a dez mil dólares e cuja receita é de apenas cinco mil; ele receberá os necessários dispêndios da casa de tesouro.”

Comentário: A falência dos micro-agricultores também está relacionada com os juros de empréstimos financeiros. Um sistema de governo agrícola desses até que não seria mal.

“Em cada aldeia deve ser estabelecida uma casa de tesouro-geral que terá diversas fontes de receita. Toda estas fontes de receita serão reunidas nesta casa de tesouro.”

Comentário: O “nosso” próprio sistema de reforma agrária parece estar enrolando durante mais de 20 anos até que a casa do tesouro-geral apareça para resolver essa questão.

“Os agricultores serão ajudados e, se após todas estas despesas terem sido custeadas, resultar qualquer superavit na casa de tesouro, ele deve ser transferido ao tesouro nacional. “

Comentário: Aqui temos um sistema “perfeito” de reforma agrária. Teremos um Banco global de sementes onde o governo decide o que cada região poderá produzir ou comer no campo ou na cidade, uma instituição financeira local interligada com outra global gerenciando os gastos, empréstimos justos e ajuda solidária com o micro-agricultor que teve prejuízos. O plano conta até com superávit! Mas qual o preço que a humanidade terá que pagar por isso?

Assim como em todas as outras áreas da globalização deverá ser criada primeiramente a unicidade global. Perguntas como: Quem trará paz entre palestinos e israelenses? Quem nos protegerá do comunismo ou capitalismo? Quem trará a paz para todas as religiões? ou quem ajudará a humanidade em cada desastre natural, quando as reservas financeiras se esgotarem, só serão resolvidas com a criação da unicidade global. Essa palavra tão doce “unicidade global” que tem seduzido todos os líderes religiosos sejam eles católicos, evangélicos esotéricos nos dia de hoje significa adorar a Besta, ou seja, reconhecer os sinais da revelação e adorar Baha’u’llah como um deus:

E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela? (Apocalipse 13 : 4)

Esse é o preço que a população terá que pagar muito em breve! A palavra de Baha’u’llah só está totalmente operante nos dias atuais e contanto ainda com o apoio de todos os governantes da terra que trabalham secretamente em seu nome por que Satanás transferiu o seu poder como descrito no versículo acima (ler o senhor das hostes)

Os governantes do mundo inteiro sabem sobre essa verdade (a foto acima não deixa dúvidas), mas o segredo do seu sucesso para escravizar a humanidade está no silêncio e na falta de entendimento das pessoas, por isso virá a fome, a guerra como os santos profetas e apóstolos de DEUS descreveram:

Portanto o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento; e os seus nobres terão fome, e a sua multidão se secará de sede. (Isaías 5 : 13)

Referências:
Trechos Do livro: Alicerce da Unidade Mundial – Abdu’l’bahá
http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/reforma_agraria/contexto_2.html http://midiaglobalizada.blogspot.com/2007/07/bahais-no-brasil-os-lobos-vestidos-de.html