16 de mai de 2008

TouchWall é PC na parede, revela Gates

“...É evidente que as décadas de um futuro próximo verão a integração das tecnologias da informática, telefonia e televisão num único sistema unificado de comunicação e informação, cujos aparelhos estarão disponíveis em larga escala e a baixo custo...”(comunidade internacional Bahá’i )


SÃO PAULO - Bill Gates exibiu um novo protótipo de PC que pode ser operado por meio de movimentos do corpo.
O fundador e chairman da Microsoft exibiu um equipamento que projeta as imagens da tela do PC numa parece e recebe comandos interpretando os movimentos que o usuário faz em frente à imagem.
Segundo demonstrou Gates, um sistema que usa luz laser e raios infravermelhos percebe os movimentos que o usuário faz em frente à imagem projetada numa parece.
Assim, o movimento dos braços é interpretado para arrastar ícones, mudar de aba no browser, ampliar e diminuir fotos, iniciar um vídeo, alterar e salvar documentos.
Gates explicou que o TouchWall usa um aplicativo chamado Plex, desenvolvido pelos engenheiros da Microsoft e capaz de interpretar as interferências que a sombra do usuário causa na imagem projetada e transformá-la em operações no PC, como abrir um documento, executar uma música ou determinar a transferência de arquivos do HD para um dispositivo portátil detectado pelo PC.
O protótipo foi exibido por Gates durante o Microsoft CEO Summit, que acontece esta semana em Redmond, sede da Microsoft.
Este é o segundo produto revelado pela Microsoft que usa os gestos do corpo humano para determinar ações no computador.

Além do TouchWall, a companhia apresentou no final de 2007 o Surface, um computador em formato de mesa cujas ações são operadas por meio de toques na tela.
O Surface custa hoje cerca de US$ 10 mil por unidade e é usado por poucos clientes comerciais, como a operadora AT&T, que usa o equipamento em algumas lojas para demonstrar celulares aos seus clientes.
Gates afirmou que as tecnologias usadas no TouchWall não são excessivamente caras e poderiam se popularizar em “poucos anos”.