3 de jun de 2008

A conferência da FAO


Mensagem do Papa enviada a FAO que se encontra na Rádio Vaticano:

“Aliás, observa ainda a Mensagem do Papa à Conferência da FAO, “do ponto de vista económico, (a família rural) assegura uma atenção eficaz e amorosa aos mais débeis e, em razão do princípio de subsidiariedade, pode assumir um papel directo na cadeia de distribuição e de comercialização dos produtos agrícolas destinados à alimentação.”

Nessa mensagem o Papa elabora um discurso semelhante ao plano da Agricultura divina de Baha’u’llah. Isso não acontece por acaso, pois globalização acima de tudo é a escravização do homem material pelo homem espiritual . A suposta solução não só desse problema, mas de todos, está na mão de dois feiticeiros (cabala e maçonaria) que são a besta de dois chifres Ap13 (11-17).

Mas em quanto Baha’u’llah não é retirado do abismo os reis desse mundo partem em busca de mais uma solução provisória através do consenso, agora o problema é a alimentação. Partem como cardumes de peixes que não tem quem os governe:

E por que farias os homens como os peixes do mar, como os répteis, que não têm quem os governe? (Habacuque 1 : 14)

Mas em breve os cristãos verdadeiros dirão: “ EIS O SOBERBO” (Habacuque 2:5)...

...mas os reis desse mundo dirão: “ EIS NOSA SALVAÇÃO”...

Quanto mais as metas se distanciam de ser estabelecidas, mais o grande dia se aproxima:


Secretário-geral da ONU diz que produção de alimentos tem de aumentar 50% até 2030

Roma - Na abertura da Conferência da FAO - a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação - o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lembrou que 850 milhões de pessoas passam fome. Segundo ele, por causa da crise mundial de alimentos, esse número pode aumentar em 300 milhões. "A produção alimentar tem de aumentar em 50% até 2030 para dar conta de uma demanda crescente", disse.

Ban Ki-Moon lembrou a importância dos programas de assistência alimentar, mas disse que políticas puramente assistenciais não vão resolver o problema da fome no mundo. "Políticas puramente assistenciais não podem funcionar. Devemos eliminar mecanismos que provoquem a distorção da oferta de alimentos no mercado". Ele invocou os países a agirem rápido.

Na mensagem do papa Bento XVI, lida pelo Cardeal Tarcísio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, foi feito um pedido para superar a crise urgente. "A má-nutrição não é mera fatalidade provocada por calamidades naturais. Envolve questões econômicas. O direito à alimentação é um direito primário, ligado à defesa da vida humana. Todos têm direito à vida e isso envolve o acesso aos alimentos.

O diretor-geral da FAO, Jacques Diouf, lamentou que a crise alimentar fosse uma "catástrofe anunciada". "Os recursos para financiar a produção agrícola diminuíram enquanto a população mundial aumentou. Os motivos já estão suficientemente explicados. O que é importante hoje é que é hora de agir. O mundo está numa situação perigosa".

A FAO abre hoje (3) a sua conferência de alta segurança para discutir a questão alimentar no mundo
http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/06/03/materia.2008-06-03.3537481890/view