2 de set de 2008

A pior forma de erradicar a fome e pobreza


A suposta erradicação da pobreza está sendo feita através da meta do milênio número 1 que foi desenvolvida pelo PNUD , o programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. A origem desse projeto está nos ensinamentos de Baha’u’llah que foram amplamente divulgados pelo seu filho Abdu’l’bahá durante o ano de 1912 na Rua Setenta e Oito, 309, Zona Oeste, Nova Iorque. Nessa palestra existem 3 itens que estão sendo usados nos dias atuais para estabelecer a nova ordem mundial de Baha’u’llah que são:


1) A pobreza leva a humanidade a depender de “deus”

Palavras de Abdu’l’bahá: “A pobreza é um estímulo em direção a Deus.” ( nesse caso um estimulo em direção ao governo de Baha’u’llah).

O “ estímulo” citado por Abdu’l’bahá são as ONGS. Hoje elas se transformaram em um grande negócio que produz cada vês mais uma legião de miseráveis. Isso fará com que boa parte da humanidade seja obrigada a depender do “deus” da ONU no futuro para sobreviver.


2) E necessário fazer ajustes na economia

Outra frase de Abdu’l : “ Um dos ensinamentos de Bahá'u'lláh é o ajuste dos meios de subsistência na sociedade humana ...”

Os ajustes que a ONU espera surgiram através de idéias “maravilhosas” como o programa Bolsa-Família. Durante o ano de 2007 a ONU já estava de olho nesse projeto como descrito na notícia abaixo:

Bolsa-Família pode servir de modelo para ONU
O Programa Mundial de Alimentação da ONU estuda adotar ações inspiradas no projeto brasileiro Bolsa-Família. A intenção é criar formas de garantir ajuda às famílias que sofrem com a alta nos preços dos alimentos. Esta é uma tentativa das Nações Unidas de criar redes sociais para garantir comida à população mundial.

Nessa outra matéria, um ex-consultor da ONU (misteriosamente muito ativo na instituição) propõe alguns “ajustes” no Bolsa-família e a transferência universal como solução:

Bolsa Família não deve impor condições, diz economista e ex-consultor da ONU Guy Standing
Programas de transferência de renda que impõem condições aos seus beneficiários, como o brasileiro Bolsa Família, são em geral paternalistas, desiguais e ineficientes, afirma um estudo divulgado pelo Centro Internacional de Pobreza da ONU (IPC, na sigla em inglês).

"Nós vamos voltar a transferências de renda universais, incondicionais, no final", completa o autor.

A “ transferências universais” citada pelo autor são uma transferência monetária em escala global para o bolsa família da Nova Ordem Mundial.

3) E por fim...Abdu´l termina da seguinte forma: “...Sob este ajuste não pode haver extremos nas condições humanas relativas à riqueza e à subsistência... “

Uma vez criada a unidade financeira (o bolsa-família global) é necessário criar a unidade “ humanidade solidária.” Não existe outra forma de fazer com que a humanidade mais rica desperte o “espírito de solidariedade com os pobres “ a não ser retirando Baha’u’llah do abismo.

E depois é só implantar a economia divina de Baha’u’llah. Isso fará com que os pobres dependam dos ricos e os ricos dependam dos pobres. Essa é a verdade sobre a unidade humanidade que a ONU e os governantes mundiais estão trabalhando dia após dia ou seja, criar o corpo de Baha’u’llah na terra através do seu Sinal, o seu nome, e o número de letras do seu nome:

“Aquele que é o vosso Senhor, o Todo-Misericordioso, acalenta o desejo de contemplar a raça humana inteira como uma só alma e um só corpo.” (Baha’u’llah )