21 de set de 2008

CMI comemora 60 anos de apostasia


O secretário da ONU Ban Ki-moon (foto) supervisionando as metas do milênio e a futura revelação de Baha'u'llah para os cristãos.
O conselho mundial de igrejas (The World Council of Churches) é outra importante instituição que aderiu os ensinamentos de Baha’u’llah. O site do CMI até possui um link (clique aqui para ler) sobre os ensinamentos da fé.
Aplicando os ensinamentos de Baha’u’llah (o cristo cósmico) de forma gradativa não serão poucas as igrejas que aceitarão a sua revelação como solução das metas do milênio e outros problemas que afligem a humanidade criados pela ONU.
No site do CMI eles são um pouco mais discretos e ainda não usam abertamente a estrela de nove pontas (o sinal unificador de Baha'u'llah AP 13:16) como no parlamento das religiões ; e sim uma cruz. A dimensão da apostasia envolvendo as igrejas pelo mundo pode ser vista no link abaixo:

http://www.oikoumene.org/en/member-churches.html

Notícia:
Cerimônias, livros e transmissões comemoram os 60 anos do CMIALC/CMIGenebra, quinta-feira, 21 de agosto de 2008 (ALC) - Lembrando o encontro das 147 igrejas que se reuniram em Amsterdam, no dia 23 de agosto de 1948, para a fundação do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), o secretário-geral do organismo ecumênico, Samuel Kobia, disse, no mesmo local da realização do evento há 60 anos, que era significativo constatar que "as igrejas foram fiéis ao seu compromisso" de, em Cristo, encontrarem-se mutuamente. As igrejas "não somente permaneceram unidas, mas aprofundaram e ampliaram a comunidade", destacou Kobia. Representantes de igrejas membros de todo mundo, como o reverendo Michael Kinnamon, do Conselho Nacional de Igrejas dos Estados Unidos, consideram esta data uma ocasião para celebrar a comunidade ecumênica através da oração.Amanhã à tarde será comemorada a criação do CMI em reunião seleta na igreja Nieuwe Kerk, em Amsterdam.

Foi esta igreja que acolheu o serviço de abertura da assembléia fundadora do CMI em 1948. Neste templo, a rainha Beatriz, dos Países Baixos, receberá o primeiro exemplar do livro do jubileu "The Ecumenical Movement at a Crossroads".O livro reúne uma compilação de ensaios escritos por personalidades relacionadas ao movimento ecumênico, entre elas Nelson Mandela.Agradecendo às "igrejas e aos amigos ecumênicos dos Países Baixos", que patrocinaram e organizaram o encontro de Amsterdam, Kobia afirmou que "os desafios para buscar a unidade visível são hoje maiores, mas nós olhamos para os próximos 60 anos com esperança e confiança, inspirados pelo espírito de nossos antepassados ecumênicos que tornaram possível o que ocorreu em Amsterdam em 1948".O documentário sobre o CMI, que será emitido pelo canal Nederland 2 da televisão nacional holandesa no sábado, 24 de agosto, é uma das transmissões que cobrem o aniversário em diferentes países.Também será transmitido serviço radiofônico, dirigido pela ex-diretora de serviços humanitários e de refugiados do CMI, pastora Myra Blyth, na Rádio 4 da BBC, neste mesmo dia.
O programa conta com contribuições da presidenta do CMI na Europa, Mary Tanner, bem como do pessoal do CMI e dos alunos do Instituto Bossey do Conselho, na Suíça, e poderá ser visto também através da página web da BBC.O ato central das celebrações do 60º aniversário foi realizado em Genebra, em fevereiro, durante a reunião do Comitê Central do CMI, que vem a ser o principal órgão reitor do Conselho durante o período de sete anos entre as assembléias gerais do organismo ecumênico internacional.Na celebração ecumênica festiva de 17 de fevereiro, o patriarca ecumênico Bartolomé I recordou à congregação que lotava a catedral de São Pedro, de Genebra, que o CMI empreendeu muitas realizações ao longo destas seis décadas de existência.