4 de set de 2008

As Mulheres da nova era

Um outro princípio de Bah’u’llah é a igualdade entre homens e mulheres. Essa também é a meta do milênio número 3. É claro que essa idéia parece ser justa, mas os seus ensinamentos no início são doces para a boca (Ezequiel 3:3) e amargos ao estômago quando se chega no fim dos tempos (Apocalipse 10:10).

O lado doce da nova ordem ...

E disse-me: Filho do homem, dá de comer ao teu ventre, e enche as tuas entranhas deste rolo que eu te dou. Então o comi, e era na minha boca doce como o mel. (Ezequiel 3 : 3)


O suposto livro doce de Baha’u’llah, que se transformou nas metas do milênio, fez com que as mulheres bahá’is ocupassem lugares renomados dentro da ONU. Abaixo segue alguns exemplos:

1) Bani Dugal é a principal representante da comunidade Bahá’i na ONU. Ele atua no comitê executivo de direitos humanos, no comitê de liberdade religiosa, no fóruns globais (meio ambiente, direitos humanos, metas do milênio, em muitas outra agências da ONU como: a UNESCO, UNICEF. Resumindo...o ECOSOC (conselho econômico e social) está sobre o seu controle e acima dela existe a penas a CUJ ( Casa Universal de Justiça). O ECOSOC é a segunda organização mais importante dentro da ONU depois do conselho de segurança.

2) Tahirih Naylor, (New York)

Tahirih Naylor faz parte da comunidade Baha’is desde julho de 2006. Ela participa de reuniões na Assembléia Geral, Comissão social, Comissão de desenvolvimento sustentável, de comitês como a erradicação de pobreza e muitas outras agências da ONU.

Através da legislação doce de Baha’u’llah, hoje as mulheres ocupam cargos renomados em prefeituras, governos federais e direção nos mais diversos países.

O lado amargo da nova ordem no final dos tempos...

E tomei o livrinho da mão do anjo, e comi-o; e na minha boca era doce como mel; e, havendo-o comido, o meu ventre ficou amargo. (Apocalipse 10 : 10)

Para entender o amargo da globalização é necessário conhecer a sua definição. Ela foi muito definida pelo Professor Farhang Sefidvash da UFRGS na frase abaixo:

“É um processo contínuo pelo qual interesses conflitantes ou divergentes podem ser solucionados e assim adotar uma ação cooperativa.”

Resumindo de forma direta globalização é um ciclo infinito de problemas, soluções e novos problemas.

Todo esse sistema foi criado para que homens e mulheres fossem guiados pelos ensinamentos de Baha’u’llah. O primeiro passo é criar o conflito entre razão (homem) e emoção (mulher). Dessa formas eles aceitarão a lei do Kitab-i-aqdas (K53) como síntese (certeza) e resolução de seus problemas:

“53. Surgindo entre vós divergências por qualquer causa, submetei-as a Deus enquanto o Sol ainda brilhar acima do horizonte deste Céu e, após o Seu ocaso, recorrei a tudo o que Ele manifestou.”

E aqui começa o ciclo de problemas intermináveis. Os (as) “eleitos (as)” do seu governo serão batizados com o falso “espírito santo” o que resultará em um desequilíbrio mental e espiritual. É através desse desequilibro, uma espécie de feitiço, que serão capazes de criar uma legislação mundial capaz de mandar matar covardemente todos os cristãos verdadeiros deixados para trás e qualquer um que se opor a Ordem Mundial de Bahau’laah.

Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos. (Apocalipse 13 : 10)

Referência:
http://bic.org/who-we-are/Our-Staff