10 de set de 2008

O FRACASSO DO SISTEMA NACIONAL DE ENSINO

Por: Clóvis Pereira da Silva
"(...) O Brasil não conseguirá atingir jamais o nível de desenvolvimento cultural, científico e tecnológico já atingido por outros países em desenvolvimento e os já desenvolvidos, se permanecer o atual quadro da medíocre qualidade do ensino básico que é ministrado em escolas públicas e em escolas privadas brasileiras, bem como a péssima qualidade de cursos de graduação ofertados por IES privadas(...)"
"(...)O estado de calamidade na qualidade de diversos cursos de graduação ofertados por IES privadas evidencia-se, por exemplo, na oferta de cursos de bacharelado em direito. No Paraná é muito alto o índice de reprovação, mais de 80%, dos candidatos ao exame da OAB. Este é um indicador da má qualidade de formação técnica desses candidatos reprovados. Mas a lista não é composta apenas por licenciados em Matemática, em Física, em Pedagogia, em História, em Geografia Física , Geografia Humana, bacharel em direito e em medicina.
O problema está posto e urge que a parte culta da sociedade brasileira tome as providências cabíveis. Desejamos o sucesso do Brasil como nação(...)"

A notícia completa encontra-se em : Apufpr

A solução para esse problema é aplicar os ensinamentos de Baha’u’llah em escala mundial! Isso já vem sendo feito em Portugal como na notícia abaixo:

Um dos princípios que Bahá’u’lláh deixou é a Educação. São Suas as seguintes palavras:
«Empregai toda a energia para adquirir tanto perfeições interiores como exteriores, pois o fruto da alma humana tem sempre sido, e sempre será, perfeições internas e externas. Não é desejável que o ser humano seja deixado sem conhecimento ou habilitações, pois será, então, nada mais que uma árvore estéril. Assim, tanto quanto o permitam as vossas capacidades e aptidões, deveis adornar a árvore do ser com frutos como a sabedoria, o conhecimento, a percepção espiritual e a fala eloquente».
Tendo em conta o valor e a importância atribuídos pelos Bahá’ís no que diz à Educação, a Comunidade Bahá’í de Portugal obteve autorização por parte do Ministério da Educação para leccionar nas Escolas Oficiais do Ensino Básico e Secundário a disciplina de Educação Religiosa segundo os Ensinamentos Bahá’ís, que foi concedida em 4/6/1996, tendo para tal sido homologado um parecer solicitado à Procuradoria Geral da República (publicado no Diário da República II Série nº 222/96), no qual se afirma que a Fé Bahá’í é «uma Confissão Religiosa» e que «não contraria os princípios fundamentais da sociedade portuguesa e a sua ordem jurídica».
Em conformidade com o atrás exposto, a Comunidade Bahá’í de Portugal iniciou as aulas em várias escolas do país, tendo em consideração a Declaração «Por uma educação moral» .
[1]- Os professores Bahá’ís que leccionam esta disciplina procuram formar os jovens no conceito da unidade na diversidade, capacitando-os a desenvolverem qualidades, que possam caracterizar a sua vida interior e o seu comportamento de forma a acentuar as virtudes e valores espirituais e éticos. Pretende-se que se preparem para levar uma vida saudável e produtiva de forma a considerar o papel fundamental da família e capacitá-los para contribuir individual e colectivamente para uma sociedade direccionada para alcançar a Paz Mundial.
É fundamental considerar as palavras de Bahá’u’lláh:
«Considerai o Homem como uma mina rica em jóias de inestimável valor. A educação, tão somente, pode fazê-la revelar os seus tesouros e habilitar a Humanidade a tirar dela algum benefício».
[1] - Toda a humanidade deve se encontrar no vale da UNIDADE para aceitar a revelação de Baha'u'llah como verdadeira.

E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela? (Apocalipse 13 : 4)