15 de fev de 2008

Bolsa família brasileiro começa a se espalhar pelo mundo

Notícia:

Instituição promove Tranferência Monetária Condicional, sistema é semelhante ao Bolsa Família, do Brasil.


Marco Alfaro, da Rádio ONU em Nova York

O Banco Mundial está apoiando 16 programas de Transferência Monetária Condicional a famílias carentes, Cct, em 12 países, ao custo de US$ 1,2 bilhão, cerca de R$ 2,1 bilhões.

A instituição pretende ainda ampliar a aplicação desses programas na África e Ásia.

A iniciativa conta com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud.

O chefe da divisão de gestão do conhecimento e operação da unidade de cooperação sul-sul, do Pnud, Francisco Simplício, falou à Rádio ONU, em Nova York, sobre a adoção de idéias dos países em desenvolvimento nos países industrializados.

Soluções criativas

"Esse é um fato muito importante e uma nova tendência. Primeiro que os países em desenvolvimento, grande parte deles, já criaram capacidade e estrutura de criar soluções criativas para seus problemas de desenvolvimento. O Bolsa Família é um grande exemplo desse contexto. É uma criação dos países em desenvolvimento que passa a ser reconhecida como uma nova solução que pode ser inclusive adotada por países desenvolvidos", disse.

Segundo o Banco Mundial, a cidade de Nova York também adotou o sistema de Transferência Monetária Condicional semelhante ao do programa Bolsa Família, do Brasil, e do Oportunidades, do México.

O banco estima que a iniciativa irá beneficiar cerca de 5 mil pessoas em Nova York.

As pessoas inscritas no programa recebem entre US$ 4 mil e US$ 6 mil, aproximadamente entre R$ 7,2 mil e R$ 10 mil, anualmente caso cumpram as metas nas áreas da educação, da saúde e busca de emprego.

http://www.un.org/radio/por/detail/5271.html