10 de fev de 2008

Bolsa família um exemplo de economia digital “solidária”



A primeira meta do milênio é: “1. Acabar com a fome e a miséria.”

Aos pobres pertencem o reino de DEUS, mas aos pobres também pertencerá o reino da Besta. Essa é a verdade sobre a prioridade da meta do milênio número 1.

No início desse mês o governo “lula” anunciou que iria rastrear a pobreza do bolsa família. Agora esse cartão tornou-se um modelo para os globalistas da Nova Ordem aplicarem em grande escala pelo mundo. Isso mostra como a marca da besta afetará muito em breve os mais pobres e como estamos cada dia mais próximo do fim.

BBC 10/02/08
A edição desta semana da revista britânica The Economist publica uma reportagem sobre o Bolsa Família e afirma que o programa social do governo brasileiro "está ganhando adeptos em todo o mundo".
"Os governos do mundo inteiro estão olhando para este programa", diz Kathy Lindert, do escritório do Banco Mundial em Brasília, à revista.
A Economist afirma que iniciativas semelhantes estão sendo testadas em larga escala em outros países da América Latina e cita uma versão mais refinada do Bolsa Família adotada em Nova York.
De acordo com a reportagem, o Bolsa Família "contribuiu para o aumento na taxa de crescimento econômico do Nordeste acima da média nacional" e ajudou a "reduzir a desigualdade de renda no Brasil".
A Economist destaca o aumento da presença escolar em Alagoas, onde metade das famílias recebe o Bolsa Família, e afirma que essa melhoria pode "ajudar o programa a atingir o objetivo de romper com a cultura de dependência ao garantir uma educação melhor para as crianças".
Além da educação, a revista sugere que o programa do governo brasileiro também aumentou o poder de compra entre os mais pobres.

http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/02/080208_economistbolsafamilia_np.shtml