22 de ago de 2008

A mulher montada na besta – parte II


Comentário: Apesar do catolicismo romano ter um certo repúdio pelos fundamentalistas, a analise do livro de Dave Hunt abaixo foi feita de forma completa. Ela mostra os seus erros de interpretação que apenas avançaram desde o primeiro estágio. Durante o artigo, o Autor católico também comete um erro ao afirmar que a Mulher sentada na besta é a cidade de Jerusalém.

Devido ao tamanho do artigo abaixo segue apenas um resumo, mas o ele pode ser lido na íntegra no site do autor.

Julgai todas as coisas, retende o que é bom; (I Tessalonicenses 5 : 21)


Tradução: Rondinelly Ribeiro
Fonte: http://www.veritatis.com.br/

Alguns anti-católicos afirmam que a Igreja Católica é a grande meretriz da Babilônia em Ap 17 e 18. O escritor fundamentalista Dave Hunt, em sua obra A Woman Rides the Beast, de 1994, nos apresenta nove argumentos que tentam provar esta idéia. Nada mais são do que um apanhado de tudo o que dizem os demais fundamentalistas, e uma análise destes pontos mostrará que não procedem.

1. AS SETE MONTANHAS
Dave defende que a meretriz é "uma cidade edificada sobre sete montanhas", que identifica com as sete montanhas da Roma antiga. Este argumento se baseia em Ap 17,9 que diz que a mulher está sentada sobre as sete montanhas.
Agora trazendo à distinção entre Roma e a Cidade do Vaticano - a cidade onde está o centro da Igreja Católica. A cidade do Vaticano não está construída sobre sete montanhas, mas somente em uma: o Monte Vaticano, que não é uma das sete montanhas sobre as quais a antiga Roma estava construída (Hunt não deu muita importância a este detalhe). Estas montanhas estão do lado leste do rio Tibet; o Monte Vaticano está do lado oeste.


5. POSSUIDORA DE GRANDES RIQUEZAS

Hunt afirma que "A grande riqueza da meretriz chamou a atenção de João. Ela estava ‘adornada de ouro, pedras preciosas e pérolas...’". O problema é que, não obstante o que tinha no passado, a moderna cidade do Vaticano não é fantasticamente rica. De fato, ela vem apresentando déficts na sua receita nos anos mais recentes e possui um importante défict anual. Além do mais, a riqueza está mais em relação à Roma pagã ou à Jerusalém apóstata, ambos centros econômicos da época.

7. A MÃE DA PROSTUTUIÇÃO

Este é o mais hilário argumento de Hunt: "A atenção de João se volta à inscrição na fronte da mulher: A MÃE DA PROSTITUIÇÃO E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA (ênfase de D. Hunt). Infelizmente, a Igreja Católica se encaixa nesta definição assim como as demais. Muito disto se deve à doutrina anti-bíblica do celibato", que tem "feito o clero pecador e prostitutas aquelas que eles secretamente coabitam".

Hunt novamente lança mão de uma interpretação literal. Hunt deveria ter entendido a prostituição das filhas da mesma forma que a prostituição da mãe. O texto se refere à fornicação espiritual, política ou à perseguição dos cristãos (Ap 17,2. 6; 18,6). Ao invés disso, Hunt interpreta esta fornicação das filhas de forma literal, algo como prostitutas de verdade cometendo fornicação literal.


8. DERRAMA O SANGUE DOS SANTOS
Hunt diz que "João então nota que a mulher está bêbada - não com álcool, mas com o sangue dos santos e dos mártires de Jesus...(verso 6). Ele continua com acusações da brutalidade e das mortes nas inquisições, que supostamente converteu nações e influenciou o holocausto nazista.
Há uma grande abundância de erros históricos nesta seção do livro de Dave Hunt, e não de menor importância o fato de que a Igreja forçou a conversão de Nações. A Igreja definitivamente não o fez. Ela condena a conversão forçada desde antes do século 3 (e antes disso era menos possível ainda!) e tem feito estas condenações em repetidas ocasiões (CIC 160, 1738, 1782, 2106-7).

9. REINA SOBRE OS REIS

Em seu último argumento, Hunt afirma: "Finalmente, o anjo revela que a mulher ‘é esta grande cidade, que reina sobre os reis da terra (verso 18)’. Existe tal cidade? Sim, e somente pode ser uma: a cidade do Vaticano".
Isto é uma bricandeira? O Vaticano não tem poder algum sobre as nações e muito menos reina sobre elas. Na verdade, a existência do Vaticano foi ameaçada nos últimos dois séculos devido o nacionalismo italiano.
Hunt apela ao fato da autoridade política que o Papa já exerceu sobre os cristãos (negligenciando o fato de que era limitada, como o próprio Papa admite), mas nesta época não existia a cidade do Vaticano. Esta somente apareceu em 1929, quando a Santa Sede e o governo italiano assinaram o tratado de Latrão.
Hunt precisaria entender que se esta passagem se referir à cidade do Vaticano, sendo a cidade do Vaticano uma força política minoritária, então ela se adequa muito mais à antiga Roma pagã, que preenche todos os requisitos de governo sobre outras nações muitíssimo melhor que qualquer outra cidade.

Referência:
http://www.doutrinacatolica.com/modules/news/article.php?storyid=74

continua...