18 de ago de 2008

Agência de inteligência britânica vai recrutar gays

A todos levanta o inimigo com o anzol, pesca-os de arrastão e os ajunta na sua rede varredoura; por isso, ele se alegra e regozija (Habacuque 1:15)
Comentário: Os ativistas gays são fundamentais para colocar em prática a etapa 7 do "plano de mudança de comportamento."


O serviço interno de inteligência britânico, MI5, começou a recrutar homossexuais interessados em fazer parte do seu quadro de funcionários, segundo informou uma matéria publicada nesta segunda-feira pelo diário financeiro britânico Financial Times.
De acordo com o jornal, a agência contratou o grupo britânico em defesa pelos direitos dos gays Stonewall para ajudar a selecionar os candidatos.

O chefe do grupo, Ben Summerskill, disse que a decisão marca uma mudança significativa nas políticas da agência, que está "procurando refletir a diversidade da sociedade britânica".

Summerskill ainda disse que passará a incluir o MI5 em sua lista empregadores simpáticos aos homossexuais.

De acordo com a correspondente da BBC, Nikki Jeck, esta é a primeirva vez que a agência abre suas portas aos homossexuais em mais de 50 anos. Jeck acrescenta que o MI5 espera com a nova tática contar com espiões que serão mais representativos das comunidades a que pertencem.

Dos anos 50 até o início dos 90, o MI5 proibiu a contratação de gays para ocupar cargos elevados. A proibição aconteceu no começou da década de 50 depois que um grupo de espiões infiltrado na Universidade de Cambridge foi descoberto. Dois deles eram gays.

Desde os atentados terroristas de 7 de julho de 2005, o MI6, serviço internacional de inteligência britânico, está atraindo britânicos de origem muçulmana e asiática para integrar seu quadro de espiões.
http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/08/080818_grabretanhaespioes_fp.shtml