2 de abr de 2008

Rede WiMax um mundo sem fronteiras!



"16 DE ABRIL DE 1912
Palestra no Hotel Ansonia para os Amigos Bahá'ís de Nova Jersey Esquina das Ruas Broadway com Setenta e Três, Nova Iorque:

Os Estados Unidos da América serão apenas um nome. Alemanha, França, Inglaterra, Turquia, Arábia - todas essas nações serão interligadas em união. Quando se perguntar às pessoas do futuro: "Qual a sua nacionalidade?", a resposta será: "Pertenço à nação da humanidade. Vivo à sombra de Bahá'u'lláh. Sou servo de Bahá'u'lláh."

Abdu’l’bahá sabia exatamente onde a sociedade chegará no futuro em termos de avanços tecnológicos. Com a chegada, mesmo que ainda fraca, da rede WiMax no Brasil já podemos ter idéia de como será a ditadura digital no mundo. A rede WiMax, ou a expansão da rede Wifi, com certeza criará a mais horrível e devastadora ditadura digital no mundo. Multas por pronunciar um palavrão, atravessar fora da faixa de pedestres são apenas um exemplo do que nos aguarda.

A união da identificação biométrica e microchips com a rede WiMax está a cada dia mais próxima. Esse é o verdadeiro objetivo final de todos esses avanços, pois o cidadão global para viajar, comprar ou vender terá que dizer : “Sou servo de Baha’u’llah.”, dessa forma as fronteiras realmente desaparecerão. A terrível profecia descrita em Ap 13:17 caminha rapidamente para a sua conclusão:

Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. (Apocalipse 13 : 17)

Banda larga sem fio atrai os gigantes do setor


Companhias começam a disputar com maior ênfase o mercado de Internet WiMAX neste ano a Embratel investirá R$600 milhões para oferecer tecnologia em 61 cidades; Brasil Telecom e TVA testam os serviços e podem entrar no mercado.

A disputa por um segmento ainda pouco explorado no País, o WiMAX, Internet por banda larga sem fio de grande alcance, ganha um grande competidor, a Embratel, que prevê antecipar em pelo menos um ano os R$ 600 milhões previstos para serem aplicados até 2010, no máximo, para implantar sua rede de WiMAX em 61 cidades brasileiras. Isso se o retorno for tão favorável como ela espera. Além da Embratel, empresa do Grupo Telmex, do milionário mexicano Carlos Slim, a Brasil Telecom (BrT) e a TVA, na qual a Telefônica tem participação, podem entrar na disputa em 2008 e testam serviços de WiMAX.

ANTECIPAR

"Dependendo do sucesso, podemos antecipar e levar os serviços para as 12 novas cidades, ou mais, ainda este ano"

MAURÍCIO VERGANI
DIRETOR DA EMBRATEL


O projeto de WiMAX da Embratel que contempla o lançamento da rede em 61 cidades foi divido em três partes. Assim, a empresa inicia a primeira fase com o lançamento de sua rede sem fio em 12 capitais (Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís e São Paulo) até o final deste mês, investindo R$ 175 milhões.

As outras fases do projeto ocorreriam no início de 2009 e 2010. No entanto, Mauricio Vergani, diretor executivo da Embratel Empresas, aponta que existe uma grande possibilidade de o projeto ser antecipado. "Em julho faremos avaliação da penetração dos nossos serviços. Dependendo do grau de penetração que temos, ou seja, de sucesso, podemos antecipar as fases e levar a 12 novas cidades, ou até mais, os nossos serviços de WiMAX ainda em 2008. O projeto é flexível", afirmou Vergani ao DCI.

Nicho

Neste primeiro momento, os serviços de WiMAX da Embratel terão como prioridade atender pequenas e médias empresas, que segundo a operadora é um segmento constituído por cerca de 5 milhões de usuários em potencial. "No futuro pode ser que também usaremos nossos serviços de WiMAX para atender à demanda dos usuários residenciais. Este é um caminho natural", revela Vergani.

O executivo também ressalta que a convergência de serviços será o foco da empresa. Assim, como já detém parceria com a Claro para ara oferecer serviços agregados de telefonia móvel e fixa, a empresa pretende incluir o WiMAX nesse pacote e passar a oferecer um triple play para pequenas e médias empresas. Vale ressaltar que apesar da Embratel pode expandir o serviço de 61 cidades, para até 200.

Outra grande do setor que poderá disponibilizar WiMAX em 2008 é a TVA. A operadora fez um teste de rede WiMAX com a companhia Samsung em 2006, em São Paulo e também em Curitiba, e anunciou em março do ano passado que assinou acordos de testes de redes WiMAX para São Paulo, com a Nortel, e para o Rio de Janeiro, com a Motorola, cidades em que a TVA possui licença de uso de todo o espectro na faixa de 2,6 GHz. A empresa conseguiu recentemente a autorização da Anatel para testar sua rede de WiMAX em São Paulo. O mesmo caminho fez a Brasil Telecom, que recebeu autorização da Anatel, em outubro do ano passado, para testar o WiMAX nas freqüências de 3,5 GHz na cidade de São Paulo por um prazo de 6 meses.

Outras empresas que têm interesse em atuar nesse mercado como a Oi (ex-Telemar) ainda dependem de uma nova licitação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que chegou a promover um leilão de licenças para o WiMAX em 2006, quando recebeu cerca de 100 propostas das empresas. No entanto, o mesmo foi cancelado devido a questionamentos do Tribunal de contas da União(TUC). No mês passado a Anatel decidiu revogar o edital desta licitação e ainda não há prazo para que a o órgão promova nova licitação. Segundo analistas, a indefinição da agência pode gerar, no longo prazo, uma grande vantagem competitiva para os players que já programam seus produtos e serviços para o setor.


Publicado em: DCI - Comércio, Indústria e Serviços