16 de set de 2007

Os Judeus Cabalistas Mataram o Senhor Jesus

Por David Bay
Os sacerdotes judeus ganharam uma certa autonomia que lhes permitia virtualmente dominar de forma ditatorial sobre os cidadãos judeus. E, o cidadão comum simplesmente não compreendia que os líderes religiosos tinham imposto sobre eles um sistema que colocava-os sob um jugo de servidão e ao mesmo tempo elevava os líderes a posições de grande poder e de riqueza. A ignorância era tão grande que o cidadão mediano admirava e honrava aqueles líderes religiosos que o oprimiam.
Agora, vamos examinar os fariseus, a maioria dos quais era membro da Cabala. Os fariseus possuíam:
1. Orgulho arrogante
"Quem a si mesmo se exaltar, será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar, será exaltado. Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando." [Mateus 23:12,13]
Uma das características das sociedades secretas é que enganam o povo comum sobre a verdade fundamental, especialmente a verdade de como obter a salvação eterna; em vez disso mantêm essa verdade para si mesmos, como uma forma de poder e de privilégio. Jesus falou diretamente sobre essa terrível situação em Lucas 11:52:
"Ai de vós, intérpretes da lei! porque tomastes a chave da ciência; contudo vós mesmos não entrastes e impedistes os que estavam entrando."
Os intérpretes da lei conheciam a verdade simples que Deus tinha criado para as pessoas serem salvas por toda a eternidade e para desenvolver o amor a ele. Entretanto, eles escondiam essa verdade simples do povo, impondo o sufocante sistema de regras para a vida diária que Jesus tanto criticou. Esses fariseus estavam deliberadamente enviando populações inteiras de judeus para o inferno pois tinham escondido a verdade deles. É por isso que Jesus os criticou com tanta severidade. Veja, Satanás convenceu aqueles fariseus que todo judeu iria para o céu de qualquer forma, simplesmente por serem judeus; portanto, eles acreditavam que não fazia muita diferença para a vida eterna aquilo em que eles criam. Os fariseus mantinham o poder terreal e o prestígio mais firmemente em suas mãos por meio desse engano espiritual.
2. Os fariseus desenvolveram dupla personalidade
"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos, e de toda imundícia. Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade." [Mateus 23:27-28]
Aqui Jesus está falando claramente da dupla personalidade do membro da sociedade secreta. Os fariseus tinham inteligente e eficientemente escondido a existência dessas crenças satânicas do povo comum, mas não podiam escondê-las dos olhos oniscientes de Jesus Cristo.
3. Os fariseus desenvolveram sistemas complexos de ensino oral e ensinavam o povo judeu a reverenciá-los
"Então vieram de Jerusalém a Jesus alguns fariseus e escribas, e perguntaram: Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? Pois não lavam as mãos quando comem. Ele, porém, lhes respondeu: Por que transgredis vós também o mandamento de Deus, por causa da vossa tradição?... Hipócritas, ..." [Mateus 15:1-9]
Jesus está claramente falando contra o mal que a sociedade secreta dos fariseus tinha perpetrado contra o povo judeu, de criar tradição oral supostamente igual ao ensino escrito de Deus, e, na verdade, contradizia a palavra escrita de Deus. As pessoas simples não compreendiam como tinham sido enganadas pois não possuíam a palavra escrita de Deus. Os fariseus tinham a palavra escrita de Deus e a guardavam para si mesmos. Nós o encorajamos a ler atentamente Mateus 15:1-20, entendendo que Jesus está falando aqui principalmente contra os ensinos e a prática da sociedade secreta satânica. Jesus declara repetidamente que os fariseus vão para o inferno. Ele não mede suas palavras. Em duas ocasiões, Jesus descreveu os fariseus como "víboras", um sinônimo de "serpentes". Logicamente, sabemos que a serpente é consistentemente utilizada na Bíblia como um dos nomes de Satanás. Mas, Jesus não deixa espaço para erro nesse assunto, para que não deixemos de perceber que os fariseus não eram simplesmente pecadores. Em João 8:44, Jesus diz que o pai dos fariseus era o diabo. Ele não disse isso a nenhuma outra classe de pessoas. Ele sempre teve compaixão dos pecadores; a razão pela qual o Senhor Jesus foi tão severo com os fariseus é que ele sabia que estavam adorando Satanás por meio da participação na sociedade secreta, a Cabala.
4. Os fariseus acreditavam que o homem é inerentemente bom
Como os fariseus acreditavam que o homem é inerentemente bom, desenvolveram um sistema de salvação baseado em obras. Esse sistema de obras foi mais tarde chamado de Talmude; no entanto, Jesus chamou isso de "tradições dos homens". A Bíblia ensina claramente que o coração do homem é inerentemente mau; e, portanto, não há nenhum modo de o homem praticar boas obras para remir-se completamente de seus pecados. Jesus não deixou dúvidas que os fariseus tinham inventado esse sistema de obras. Toda vez que ele critica "as tradições dos homens", está falando sobre esse falso ensino religioso que a salvação pode ser obtida por meio das boas obras. Sempre que você encontrar Jesus dizendo "Vós dizeis... mas eu digo...", ele normalmente está tratando dessa questão das obras relacionadas com a salvação.
5. Os fariseus aguardavam o rei/remidor prometido
Tanto os estudiosos pagãos e judeus estavam esperando o aparecimento de um rei Messias para levar a humanidade a uma nova luz espiritual e a uma nova prosperidade material. No entanto, os pagãos das sociedades secretas estavam esperando um Remidor Prometido que era muito diferente daquele anunciado na Bíblia.