22 de set de 2007

O Apocalpise de Baha'u'llah

A interpretação do Apocalipse Bíblico por Baha’u’llah chega a ser um absurdo, ele simplesmente pegou alguns capítulos e versículos e adaptou para a sua doutrina e época. Abaixo alguns exemplos dos principais erros de interpretação:

As cartas para as sete igrejas:

Segundo Baha’u’llah as 7 igrejas são as sete revelações posteriores ao Bab, ou seja, as nove religiões divinamente reveladas que são o sabeísmo, hinduísmo, budismo, zoroastrismo, judaísmo, cristianismo, islamismo.

As cartas do Apocalipse são endereçadas para 7 grupos do cristianismo, o conteúdo de seus escritos são elogios, advertências e correções para os cristãos e não para essas sete religiões. O que levaria o Senhor Jesus Cristo a corrigir alguém que já morreu antes da sua existência terrena como Zaratrusta ou escrever uma carta para corrigir os seus próprios erros sendo ele perfeito? Isso é um absurdo!

O número 666
"O número da besta seiscentos e sessenta e seis" - Significa que no ano 666 d.C. haveria a profanação do Santuário (Meca) pelos Omíadas.

O número 666 está relacionado a um sistema social político e econômico e não a uma forma de governo.
Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. (Apocalipse 13 : 17)

Não sei como alguém conseguiu interpretar a bíblia dessa forma! O versículo é claro, ninguém poderá comprar ou vender se não fizer parte do sistema 666. O que isso tem haver com a destruição do santuário de Meca?

As testemunhas mártires:

E homens de vários povos, e tribos, e línguas, e nações verão seus corpos mortos por três dias e meio, e não permitirão que os seus corpos mortos sejam postos em sepulcros. ( Ap 11;9)

A interpretação de Baha’u’llah:
"Tribos, povos e nações verão seus cadáveres durante três dias e meio..."
Significado: Três dias e meio, são três anos e meio que é igual há mil duzentos e sessenta dias ou mil duzentos e sessenta anos em profecia, tempo de duração do Islã até o advento do Báb.

Ora, três dias são três dias mesmo! Não sei como Baha’u’llah conseguiu transformar 3 dias em três anos e ainda para piorar transformar três anos em 1260 anos.
As testemunhas mártires são a última esperança de DEUS para salvar uma parte da humanidade que está totalmente cega por ensinamentos como esse.
A estrela da Manhã :

O Báb - Ap 2.26-28; Ap 3,8; Ap 3,20 (Estrela da Manhã é um dos títulos do Báb).
A estrela da manhã é um galardão que o Senhor Jesus dará para os cristãos da igreja de Tiatira . O que o Bab recebeu não foi a estrela da manhã e sim o demônio estrela Renfã .


A nova Jerusalém:

Nova Jerusalém - Ap 21,1-3, Ap 21,23-27,
Segundo Baha’u’llah a terra se transformará no Jardim do Éden novamente, desde que a ONU siga as suas profecias corretamente. Para alcançar essa promessa utópica e irrealista todos os aderentes da nova era, mídia global, artistas, políticos se uniram em nome da paz e o amor global de satanás.
Com a mudança na economia mundial através dos créditos de carbono, não restam mais duvidas que em breve todo o mundo industrializado será destruído. Existe um abismo entre a realidade e esse sonho utópico da Nova Era em reconstruir o paraíso na terra. Infelizmente quando muitos abrirem os olhos para a realidade e descobrirem que foram enganados por satanás; verão sim o paraíso, mas só que do inferno. E mesmo assim muitos ainda vão achar que é possível salvar o inferno do aquecimento global.
Sinceramente com essa visão sobre a Bíblia os Baha’is chegaram ao cargo de consultores da ONU, inclusive no PNUMA. Agora realmente não resta mais dúvida; o fim está próximo!
Baha’u’llah escreveu muito mais sobre o Apocalipse, mas me recuso a comentar tamanho absurdo de forma minuciosa.


A interpretação do Apocalipse segundo Baha’u’llah:

1) Referências: Muhammad e os doze Imames - Báb e Bahá’ú’lláh.
1.1) Ap 11, 1-19
Versículos do 1 ao 5
A cana significa a revelação de Deus. Os gentios governaram Jerusalém por quarenta e dois meses ou seja, mil duzentos e sessenta dias, em profecia mil duzentos e sessenta anos. Duração do ciclo do Alcorão.
Os santos dos santos foi protegido por mil duzentos e sessenta anos, ou seja, o tempo de duração da dispensação Islâmica até o Advento do Báb. As duas testemunhas e as duas oliveiras são Muhammad e o Imame Alí.
Versículo 6
Muhammad e Alí terão todo o poder. Seus ensinamentos serão graças, como a chuva; se eles desejassem, poderiam impedir essas graças. Comparados a Moisés e Josué, teriam o poder de converter um rio em sangue.
Versículo 7.
A besta se refere a dinastia Omíada que atacou a religião de Muhammad e a sucessão do Imame Alí.
Versículo 8.
"Os cadáveres ficaram expostos..." Significa que a religião de Deus ficaria como um corpo inanimado.
"Sodoma e Egito..." "...Onde também Nosso Senhor foi crucificado..."
Significa a região da Síria e Jerusalém, onde os Omíadas tinham o seu domínio e onde a religião ficou como um corpo sem espírito.
Versículo 9
"Tribos, povos e nações verão seus cadáveres durante três dias e meio..."
Significado: Três dias e meio, são três anos e meio que é igual há mil duzentos e sessenta dias ou mil duzentos e sessenta anos em profecia, tempo de duração do Islã até o advento do Báb.
"Impedindo que sejam colocados no sepulcro...."
Significa que tribos, povos e nações são o povo do Alcorão, que não permitiram que a casa de Deus e sua lei sejam, exteriormente, destruídas.
Versículo 10
"Os habitantes da Terra se alegrarão com isso..."
Significa que as nações verão a corrupção do Islã e a possibilidade de vencê-los.
Versículo 11
Refere-se que após mil duzentos e sessenta anos, com a revelação do Báb e Quddús, a religião foi renovada.
Versículos 12 e 13
"Subi para mim..."
Significa que o Báb e Quddús cumpririam sua missão e sofreriam martírio. Após o martírio do Báb houve um terremoto conforme profetizado.
Versículos 14 e 15
O primeiro "Ai" é o advento de Muhammad, o segundo o advento do Báb e o terceiro o advento de Bahá’ú’lláh.
Versículo 16
"Vinte e quatro anciãos"
Significa que todas as revelações anteriores eram doze os guardiães da Fé. Mas, nessa revelação será o dobro. Segundo uma carta do Guardião, os Vinte e quatro anciãos são o Báb, as dezoito Letras do Vivente e outras cinco que serão conhecidas no futuro.
Versículo 17 a 19
Refere-se a Revelação de Bahá’ú’lláh.

1.2) Manifestações do Báb e Bahá’ú’lláh
Ap 12,1-17 - A visão da mulher e do dragão.
Versículo 1
As doze estrelas significam os doze Imames. A mulher é a lei de Deus que desceu sobre Muhammad. O sol e a lua significam as duas nações abrigadas por esta lei, a Pérsia e a Turquia.
Versículo 2
"Dores do parto" Significa que esta lei cairá nas maiores dificuldades até dar a luz ao Prometido. A criança significa o Báb, o qual nasceu da lei de Muhammad.
Versículo 3
"O dragão vermelho" Refere-se a dinastia Omíada. "Sete cabeças e sete diademas" São as sete regiões em que os Omíadas dominavam. "Os dez Cornos" Significa o nome dos dez regentes Omíadas.
Versículo 4
"O dragão devorava os filhos da mulher" Refere-se ao assassinato dos Imames que nasceram da linhagem de Muhammad, mortos pelos Omíadas.
Versículo 5
"Pariu um filho que irá reger todas as gentes" Refere-se ao Báb. "E seu filho foi arrebatado para Deus" Refere-se ao martírio do Báb.
Versículo 6
"E a mulher fugiu para o deserto" Significa que a Arábia seria o recinto da lei de Deus. "Para que lá se sustentassem por mil duzentos e sessenta dias" Significa que a revelação Islâmica duraria mil duzentos e sessenta anos culminando com a revelação do Báb.
1.3) Outras referências
Ap. 13,18 - "O número da besta e seiscentos e sessenta e seis" - Significa que no ano 666 d.C. haveria a profanação do Santuário (Meca) pelos Omíadas.
Nova Jerusalém - Ap 21,1-3, Ap 21,23-27, Sete Igrejas e as Sete Estrelas Ap 1,20.
Significam os sete Sistemas religiosos e os Seus Fundadores, antes da Revelação Bahá’í.
"As duas mortes" Ap 2,11 - A primeira morte é o fracasso em reconhecer e tornar-se vivo em Cristo, a segunda morte é a falha no reconhecimento da segunda vinda de Cristo, Bahá’ú’lláh e o Báb.
O Báb - Ap 2.26-28; Ap 3,8; Ap 3,20 (Estrela da Manhã é um dos títulos do Báb).
O povo de Bahá, o novo nome - Ap 3,12; Ap 2,17; Ap 3,5; Ap 3,7-8.
Advertências sobre a vinda do Senhor - Ap 2,5; Ap 2,7; Ap 2,10-11; Ap 2,16-17; Ap 2,25; Ap 2,29; Ap 3,2 - 6; Ap 3,10-13; Ap 3,15-20; Ap 3,22; Ap 3,3; Ap 16,15; Ap 21,2; Ap 21,23; Ap 14,14; Ap 19,13; Ap 5,9; Ap 22,3; Ap 22,10; Ap 22,20; Ap 6,12; Ap 6,15-17