3 de dez de 2007

Brasília recebe Comissária da ONU

A Diversidade gay é um dos principais motivos dessa visita . A ONU deu mais uma etapa para destruir os valores cristãos usando como arma os "direitos humanos", onde ser gay é mais importante que ser cristão. Lembre-se que o objetivo final dos "direitos humanos" é colocar toda a sociedade contra os cristãos verdadeiros.

E de todos sereis odiados por causa do meu nome. (Lucas 21 : 17)
Atendendo a um convite do ministro da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República Paulo Vannuchi, no mês de março, em Genebra, quando apresentou um balanço geral das ações do Governo Federal, a Alta Comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, Louise Arbour, chegou ao Brasil, onde permanecerá até o dia 5.
Nesta segunda-feira, além de almoçar com ministros no Itamaraty, ela visita o presidente da República, acompanhado do ministro Paulo Vannuchi. Também participará, na terça-feira da abertura da Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, promovida pela SEDH, na Cinemateca do Rio de Janeiro.
A comissária passará por Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro e pretende discutir a situação dos Direitos Humanos no Brasil e avaliar iniciativas nacionais que visam à promoção do respeito aos Direitos Humanos. Sua agenda no Brasil inclui reuniões com autoridades federais e estaduais, representantes do Supremo Tribunal Federal e das Comissões de Direitos Humanos do Senado e da Câmara dos Deputados.
Estão também agendadas reuniões com representantes da sociedade civil, incluindo organizações não-governamentais ativas na promoção de Direitos Humanos, e integrantes das diferentes agências das Nações Unidas operando no país. Em março, no encontro em Genebra, o ministro destacou os avanços na área do combate à tortura, com a assinatura do Protocolo Facultativo à convenção da ONU que trata do tema, a criação do Comitê Nacional para Prevenção e Controle da Tortura no Brasil e a implementação do Plano de Ações Integradas.
Vannuchi também ressaltou a aprovação do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) e os avanços no combate à exploração sexual de crianças e adolescentes.Louise afirmou que o discurso do ministro em Genebra, no Segmento de Alto Nível do onselho de Direitos Humanos da ONU, com a proposta de criação de um plano de metas mundiais em Direitos Humanos foi muito bem recebido, e destacou a importância de se trazer o tema da diversidade sexual e do combate à homofobia para as reuniões do Conselho da ONU. A proposta brasileira de criação de um plano de metas para os Direitos Humanos apontou a necessidade de um marco legal rigoroso nos países para enfrentar esta questão.

http://www.correiodobrasil.com.br/noticia.asp?c=130225