23 de out de 2007

Uma análise da música “um índio” de Caetano Veloso

Atrás de uma melodia muito agradável aos ouvidos se esconde uma das letras mais satânicas de todos os tempos!


Clique aqui para ouvir a música

Um Índio

O “índio” de Caetano Veloso faz a limpeza “astral da terra” para dar inicio a Nova Era:

Um índio descerá de uma estrela colorida brilhante
de uma estrela que virá numa velocidade estonteante
e pousará no coração do hemisfério sul na américa num claro instante
depois de exterminada a última nação indígena (os cristãos)
e o espírito dos pássaros das fontes de água límpida

O que pode ser mais avançado do que a física quântica e a holografia para que todos possam ver o índio:

mais avançado que a mais avançada

das mais avançadas das tecnologias

Um índio que trará amor, coragem, força, paz e que certamente virá:

(*)virá impávido que nem Muhamed Ali
virá que eu vi apaixonadamente como Peri
virá que eu vi tranqüilo e infalível como Bruce Lee
virá que eu vi o axé do afoxé, Filhos de Gandhi
Virá

Através da física quântica (átomos) o índio poderá ser visualizado com nitidez e o mais próximo da sua forma original:

um índio preservado em pleno corpo físico
em todo sólido , todo gás e todo líquido
em átomos, palavras, alma, cor, em gesto, em cheiro,
em sombra, em luz, em som magnífico

As pessoas ficarão perplexas em ver o índio falando e não saberão o que dizer:

num ponto eqüidistante entre o Atlântico e o Pacífico
do objeto sim resplandecente descerá o índio
e as coisa que eu sei que ele dirá , fará não sei dizer assim
de um modo explícito

refrão virá ...


Nesse ultimo verso Caetano Veloso fala sobre o ocultismo que revelará um índio exótico e a sua música termina com um suspense.

e aquilo que nesse momento se revelará aos povos
surpreenderá a todos não por ser exótico
mas pelo fato de poder ter sempre estado oculto
quando terá sido o óbvio...

A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá. (Apocalipse 17 : 8)

(*)As musicas de Caetano possuem uma concordância verbal muito refinada. Aqui ele é cuidadoso em começar o refrão exatamente onde a Bíblia parou, usando a palavra “virá”:

virá impávido que nem Muhamed Ali
virá que eu vi apaixonadamente como Peri
virá que eu vi tranqüilo e infalível como Bruce Lee
virá que eu vi o axé do afoxé, Filhos de Gandhi
virá

Com certeza essa música será cantada por muitos no dia da revelação aqui no Brasil. E como diz Caetano “certamente virá, isso é o óbvio do óbvio”.


:=)