2 de nov de 2007

Postos testam pagamento via impressão digital



“Seria difícil exagerar o impacto psicológico e social resultante da esperada substituição da atual mistura confusa de sistemas por uma única moeda mundial transacionada principalmente através de impulsos eletrônicos”. ( uma visão de Bahau'lláh do século 19 sobre a nova ordem mundial)



As duas reportagens abaixo são apresentadas pela mídia apenas como mais uma “fantástica” evolução tecnológica, mas na verdade elas são mais uma etapa rumo a economia digital. A primeira reportagem diz respeito a uma futura transação financeira realizada somente por impulsos eletrônicos. A segunda reportagem mostra que a ONU está mais rigorosa com as metas do milênio. Com o aumento das catástrofes a cada ano, a ONU pretende criar um sistema financeiro eletrônico que repassará uma parte do dinheiro para os países não alinhados através do imposto único mundial, chamado por eles ironicamente de “fundo solidário do banco mundial”, onde toda a população será convidada a aceitar a marca da besta em nome do “desenvolvimento” e a “fraternidade” global da unicidade.



Os motoristas de Chicago, nos Estados Unidos, estão testando uma nova maneira de pagar pela gasolina que consomem: usam o dedo em vez de dinheiro ou cartão de crédito. Em 10 postos Shell da cidade estão disponíveis as máquinas Pay By Touch, que reconhecem a impressão digital do cliente e debitam em sua conta bancária ou cartão de crédito o valor das compras - em gasolina ou na loja de conveniências.


De acordo com informações da agência Associated Press, os motoristas vão até a máquina, escaneiam a impressão digital e cadastram seu veículo. O sistema, depois, permite que eles paguem o que consumirem apenas deixando que a máquina leia e reconheca suas impressões digitais.


http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI2039544-EI4799,00.html





ONU e Google lançam site de monitoramento da pobreza


A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou um site em parceria com o Google e a fabricante de equipamentos Cisco que mostrará como e onde o mundo está conseguindo ou não cumprir as Metas de Desenvolvimento do Milênio.
Autoridades da ONU e especialistas de fora da organização alertaram sobre a crescente dificuldade para o cumprimento das metas estabelecidas no ano 2000 e com prazo de conclusão previsto para 2015.
Os criadores do site (www.mdgmonitor.org) disseram que um acompanhamento mais eficiente do progresso na concretização das metas deve estimular os sucessos.
"Esconder-se dos problemas garante que eles se perpetuem", disse Michael Jones, tecnólogo-chefe do Google Earth, que integrou o sistema de imagens de satélite e mapeamento ao site para que os usuários possam ver os lugares mencionados.
O site reúne estatísticas de todo o mundo para oferecer um panorama sobre como cada país está progredindo em relação ao cumprimento das oito metas, que prevêem desde a redução na mortalidade infantil até a diminuição da fome.


http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI2041368-EI4795,00.html